Os 10 vinhos mais caros do mundo em 2019

Os vinhos mais caros do mundo, cujo valor continua a aumentar de preço ao longo do tempo. Um produto exclusivo que pode surpreender os clientes sofisticados ou uma boa oportunidade para investimentos a longo prazo? Para cada comprador deste tipo de vinhos, pode ter a sua própria razão para a compra. Duas coisas permanecem inalteradas, garrafas de vinho extremamente caras e pessoas que estão prontas para os comprar, mesmo que o preço de alguns exceda os 200.000 dólares por garrafa.

  • Gearbest $39.99 for Lenovo E1 1.33-inch TFT Screen Sports Smartwatch Global Version promotion
  • Existe algo sobre o vinho que o torna numa experiência única de toda a vez que você toma um gole. Está presente em todos os textos antigos, e a atração é tão forte que até muitas religiões viram-se para o outro lado quando se trata de beber vinho. As videiras do sul da Europa são vistas hoje como mais do que património cultural. A bebida dos reis, aqui está uma lista de 10 garrafas de vinho vendidas que eram tão caras que as transformavam em sonhos. É um facto bem conhecido que um bom vinho se torna melhor com o tempo. Adquire um sabor característico e rico, que é muito apreciado pelos verdadeiros conhecedores de bebidas caras. No entanto, um vinho velho e caro é um privilégio não apenas para os gourmets. Os vinhos mais antigos estão a melhorar com o tempo e, portanto, mais caros, o que atrai investidores de todo o mundo. Investir em vinhos finos é uma maneira antiga e comprovada de investir o seu dinheiro com sucesso. Mesmo em tempos de crise económica, os vinhos de coleção ​​e caros não perdem o seu valor. Uma explicação para isso é a quantidade limitada de vinho antigo que existe no mundo, que vai diminuindo ao longo do tempo e, no futuro, será ainda menor. Consequentemente, uma garrafa de vinho comprada num leilão a custo de 20.000 dólares após 10 anos pode custar três vezes mais e em 50 anos 30 vezes mais caro. Tudo isso faz do investimento em vinhos caros um negócio muito lucrativo.

     

    1. Screaming Eagle Cabernet Sauvignon, 1992 – 500.000 dólares

    Confie nos americanos para obter o melhor dos acordos. Para que a garrafa de vinho mais cara tenha sido vendida até a data, não foi feita na Itália ou na França, mas sim, nos Estados Unidos, mais percisamente em Oakville, Califórnia. Graças à raridade e às pequenas quantidades de vinho produzidas a partir dessa localidade, o vinho alcançou um status de culto. Uma garrafa de Screaming Eagle Cabernet Sauvignon 1992, descrita como “espetacular”, conseguiu alcançar um preço inacreditável de 500.000 dólares para um leilão de caridade em 2000. Sem filtros e sem revestimento durante o engarrafamento, este vinho envelhece em 60% de carvalho novo e é de cor púrpura opaca. Tem um aroma de groselhas negras e possui sutis traços de carvalho.

    Com a probabilidade, na próxima vez que você estiver a tomar um vinho, permanecerá insatisfeito, sabendo que provavelmente não está entre os melhores de longe, a menos que você tenha muito dinheiro. Um brinde ao nosso eterno amor pelo vinho.

     

    2. Jeroboam of Chateau Mouton-Rothschild, 1945 – 310.700 dólares

    Este é um produto da família mais rica do mundo e, portanto, o seu preço não é uma surpresa. Vindos das vinhas de Nathaniel Rothschild que compraram a propriedade em 1853, hoje esses vinhos estão entre os mais valorizados do mundo. O ‘V’ no rótulo de 1945 indica a vitória das forças aliadas na Segunda Guerra Mundial, e essa é considerada uma das melhores colheitas do século passado. Enquanto uma garrafa padrão de 750 ml custa cerca de 310.700 dólares, um copo custaria cerca de 8.631 dólares. Da hortelã, musgo verde seco, baunilha e agulhas de pinheiro secas no nariz, solo seco, framboesa e cerejas secas no paladar.

     

    3. 1947 Cheval Blanc – 304.375 dólares

    Vendido num leilão na Christie’s para um comprador anónimo por 304.375 dólares, o Chateau Cheval Blanc de 1947 é considerado por muitos o melhor Bordeaux de todos os tempos. O Chateau Cheval Blanc é um dos vinicultores mais prestigiados do mundo e recebeu o superexclusivo Premier Grand Cru Classe (A) na classificação do vinho Saint-Emilion em 2012. No entanto, tem um incidente muito engraçado por trás da sua excelente reputação. O ano do seu nascimento foi caracterizado pelo mau tempo, pelo que teve que ser produzido sob condições muito primitivas, com muitas falhas técnicas, conferindo-lhe um sabor que nunca poderia ser replicado.

     

    4. Shipwrecked 1907 Heidsieck – 275.000 dólares

    Parece um preço quase impossível para um vinho que os agricultores não tinham a certeza de que este vinho era potável. Uma garrafa de 275.000 dólares cada é o que você ganha quando o vinho foi originalmente destinado apenas para o último czar da Rússia, Nicholas II. Quando o navio que transportava este vinho afundou em 1916, acreditava-se que o vinho estava perdido, até que os destroços foram descobertos em 1997. Quando 2.000 garrafas desse vinho foram descobertas, o que fez com que esses valores sejam bem elevados é a história por trás das garrafas, o navio havia sido torpedeado por um submarino alemão durante a Primeira Guerra Mundial. Durante 80 anos, este vinho esteve em temperaturas baixas, permaneceu imperturbável e longe de qualquer fonte de luz. Chris Hoel, que provou este vinho, relatou tinta de pistola, pó de espingarda preto e algo salgado no nariz, bolacha, laranjas inflamadas e óleo de limão queimado, entre outros.

     

    5. Chateau Lafite, 1869 – 230.000 dólares

    Os leiloeiros esperavam uns meros 8000 dólares quando estas garrafas foram leiloadas em Hong Kong. Imagine a surpresa deles quando o lance mais alto chegou aos 230.000 para cada uma das três garrafas, por um comprador anónimo da Ásia. O que os leiloeiros não sabiam era que o Chateau Lafite é considerado um item extremamente raro e luxuoso na Ásia.

     

  •  

    6. Chateau Margaux, 1787 – 225.000 dólares

    Tendo as iniciais de Thomas Jefferson, este vinho antigo teve um final muito triste na verdade. Jefferson era um enófilo famoso e, quando servia como embaixador na França, muitas vezes comprava garrafas de Bordeaux e da Borgonha. Esta garrafa em particular era da propriedade de William Solokin, que custava 225.000 dolares tendo a levado para um hotel de quatro estrelas para um jantar e a celebrar. Quando um empregado esbarrou na mesa por acidente, o que fez com que a garrafa se estilhaçasse em pedaços. Quando a companhia de seguros a pagou, Solokin provavelmente nunca será capaz de superar a perda de um vinho como aquele que ele não conseguiu provar nem um pouco.

     

    7. Ampoule from Penfolds – 168.000 dólares

    Uma nova edição do Bloco 42 Cabernet Sauvignon de Penfolds em 2004, cada garrafa custa 168.000 dólares, enquanto um copo custa 850 dólares. Ao contrário da maioria da lista com histórias por trás, estas garrafas, sem cortiça, tampa de rosca ou qualquer outro tipo de selo, são apenas lançamentos comerciais da mais famosa vinícola do sul da Austrália, a Penfolds. A degustação do vinho é uma experiência em si, já que as garrafas, que vêm num recipiente de prisma de vidro e num armário de madeira, podem ser abertas apenas rompendo o final. Para ajudar, uma equipa sénior de vinificação acompanhará o comprador até o local. As garrafas Block 42 Cabernet Sauvignon são os vinhos mais caros para serem vendidos diretamente numa vinícola.

     

    8. Chateau Lafite 1787 – 156.450 dólares

    Parece que o Jefferson é simplesmente azar, mesmo depois da sua morte. Descoberto cerca de 200 anos depois, numa adega em Paris, uma garrafa destas foi comprada pela editora Malcolm Forbes, em 1985, por 156.450 dólares. Tinha sido confirmada como posse do ex-presidente dos Estados Unidos pelos maiores conhecedores de vinho, e teve as suas iniciais gravadas. Para exibir a sua nova aquisição, a Forbes colocou a garrafa numa caixa de vidro e colocou-a sob uns holofotes de halogênio. Imaginem o horror dele quando a cortiça, já colocada no ângulo errado, secou devido às luzes fortes e caiu dentro da garrafa, fazendo com que seu valor caísse, sim, para 0 dólares.

     

    9. Romane Conti 1945 – 123.900 dólares

    As lendárias videiras da Romanee Conti foram destruídas pela Phylloxera, uma praga de vinhedos comerciais, logo após o final da Segunda Guerra Mundial. Após a vitória e logo antes do surto em 1946, apenas 600 garrafas foram fabricadas antes que as vinhas pudessem libertar as uvas novamente em 1952. Enquanto uma garrafa é vendida por uma média de 7.600 dólares, a originalmente pertencente ao proprietário da RDC Aubert de Villaine e doada à Christie’s alcançou 123.900 num leilão de 2007 em Genebra, Suíça.

     

  •  

     

    10. 1811 Château d’Yquem – 117.000 dólares

    Mantendo o Guinness World Record por ser a garrafa de vinho branco mais cara já vendida, a garrafa foi vendida pela Antique Wine Company por 117.000 dólares a Christian Vanneque, que por acaso é um renomeado conhecedor de vinhos. Para comemorar os seus 50 anos como provador de vinhos, ele planeia exibi-lo no SIP Sunset Grill, em Bali, Indonésia, o seu mais recente empreendimento. A razão para esse preço elevado desta garrafa é que a colheita de 1811 no Chateau d’Yquem foi tão boa que muitos acharam que era o melhor vinho branco alguma vez já feito.



    Mais: , | Por: João Baganha