Os 10 melhores jogadores do Sporting Clube de Portugal

O Sporting CP é um dos clubes mais antigos e reconhecidos da história do futebol português. Nos últimos 30 anos, o clube lisboeta formou dois dos maiores jogadores portugueses de todos os tempos, Cristiano Ronaldo e Luís Figo, pela seleção nacional.

Muito do sucesso do Sporting na academia de juniores deve ser creditado ao lendário olheiro Aurélio Pereira. O jovem de 72 anos tem estado na linha da frente do departamento de jovens do Sporting CP ao longo de muitos anos e descobriu alguns dos maiores talentos das últimas décadas.


Widget not in any sidebars

Apoiado nas impressionantes instalações da Sporting Academy de Alcochete, e liderado por Aurelio Pereira, o clube português tem uma das melhores academias do mundo a formar talentos impressionantes.

 

1. Cristiano Ronaldo

O madeirense ingressou no Sporting CP com a idade depois de o clube o ter contratado ao Nacional por apenas 1.500 euros. Quase 23 anos depois, Cristiano Ronaldo é considerado um dos atletas mais bem pagos do mundo, como muitos e até mesmo o considerando o maior jogador de futebol de todos os tempos.

Ronaldo estreou-se na equipa sénior na época de 2002-2003 aos 17 anos. Esta foi a única época que passou com o leonino português, já que no ano seguinte mudou-se para o Manchester United depois de impressionar Sir Alex Ferguson durante um amistoso contra a sua equipa. O resto, como dizem, é conversa.

Um ala que mais tarde se converteu num atacante cirúrgico e sem dúvida um dos maiores atletas de todos os tempos, Cristiano Ronaldo ganhou inúmeros troféus individuais, incluindo 5 bolas de ouro. Ele também é um dos nove jogadores que venceram a Liga dos Campeões 5 vezes. Agora com 35 anos, ele não parece estar dar sinais de desaceleração depois de marcar nos últimos 10 jogos consecutivos pela Juventus.

 

2. Luís Figo

Líder da primeira época áurea de Portugal e um dos melhores jogadores da sua geração, Luís Figo é um dos dois vencedores da Bola de Ouro produzida pelo Sporting CP. Contratado aos 12 anos, Figo passou cinco anos na academia antes de fazer a sua estreia em 1990.

O lateral fez 169 partidas, marcando 20 vezes pelos portugueses antes de se transferir para o Barcelona em 1995. Ele suportou a ira dos fiéis blaugranos quando fez a polémica transferência para o Real Madrid em 2000.

Figo passou cinco épocas no Bernabeu antes de se mudar para a Inter de Milão, onde pendurou as chuteiras em 2009.

 

3. Nani

É seguro afirmar que Nani nunca realizou o seu grande potencial, apesar de mostrar lampejos da sua genialidade em muitas ocasiões. Talvez não tenha sido sua culpa, porém sim uma comparação com outro extremo português que seguiu um caminho semelhante do Sporting CP ao Manchester United e colocou a fasquia muito alta para ser alcançada.

Contratado aos 16 anos, Nani passou apenas dois anos na academia de juniores antes de se estrear em 2005. Ao contrário de Cristiano Ronaldo, Nani passou duas épocas completas no Sporting, fazendo 76 partidas e marcando 11 golos, antes de ingressar no Manchester United em 2007.

Na Inglaterra, o ala mostrou vislumbres do seu verdadeiro potencial, no entanto foi frequentemente citado como sendo muito inconsistente. Passou oito épocas como jogador do Manchester United, vencendo quase tudo que era possível com os Red Devils e até mesmo conquistando o prémio de Jogador do Ano em 2011, antes de regressar ao Sporting por empréstimo para a época de 2014-2015.

Uma mudança para o Fenerbahçe em 2015 foi seguida por uma mudança para Valência e um terceiro retorno ao Sporting CP em 2018. Nani iria passar apenas mais uma época em Lisboa antes de se mudar para a MLS para ingressar no Orlando City em 2019.

 

4. Paulo Futre

Um dos maiores jogadores de sempre da história do futebol português, Futre ingressou na Sporting Academy em 1975, aos 9 anos. O extremo impressionou nos anos seguintes e estreou-se oito anos depois.

Um pedido de aumento salarial negado no final da época de estreia levou Futre a transferir-se para o rival FC Porto em 1984, depois de ter feito 24 jogos pelo clube de infância. Futre passou a representar o Atlético de Madrid, Benfica, Marseille, Reggiana, AC Milan, West Ham e Yokohama Flugels numa longa carreira profissional de 15 anos.

O extremo é um dos sete jogadores que representaram os “três grandes” do futebol português (FC Porto, Sporting CP e Benfica) ao longo da carreira. É também o jogador mais jovem da história do futebol português a jogar pela seleção nacional.

 

5. Simão Sabrosa

Assinou com o Sporting aos 13 anos, Simão Sabrosa subiu na carreira 5 anos antes de se estrear em 1997. Destacado principalmente como ala, Simão passou duas épocas no clube português antes de uma transferência dos sonhos para o Barcelona em 1999. Durante as duas épocas durante um ano, ele fez 58 partidas e marcou 12 vezes.

Depois de não ter impressionado com a passagem para os gigantes catalães, Simão regressou à sua terra natal ao Benfica, regressando dois anos. Em 2007, ele deixou Lisboa novamente, e foi para o Atlético de Madrid da La Liga.

Uma passagem de quatro anos de grande sucesso com os Rojiblancos foi seguida por passagens pelo Besiktas e pelo Espanyol antes de finalmente pendurar as chuteiras em 2015, depois de jogar pelo NorthEast United da Super League indiana.

 

  •  

    6. William Carvalho

    Assinado como um jovem de 13 anos em 2005, o meio-campo passou cinco anos na academia antes de fazer a sua estreia aos 18 anos em 2011.

    Um versátil meio-campo defensivo, William Carvalho já foi algumas vezes destacado como o meio-campo e defesa central ao longo da sua carreira. Passou seis épocas como jogador do Sporting CP, fez 190 partidas e marcou 11 golos antes de encerrar um relacionamento de 13 anos com o Sporting para ingressar no Real Betis em 2018.

    Já no auge, William Carvalho é um dos primeiros nomes do Real Betis e das seleções de Portugal.

     

    7. Rui Patrício

    Indiscutivelmente o maior guarda-redes de Portugal, Rui Patrício tinha 12 anos quando se juntou à academia do Sporting CP. Patricio tinha apenas 18 anos quando fez a sua estreia no verde e branco em 2006. O arremessador passou 12 anos com os portugueses antes de se mudar para a Inglaterra em 2018 para ingressar no Wolverhampton Wanderers.

    Durante a sua estadia no Estádio José Alvalade, Patricio fez 467 jogos, segundo lugar na lista de melhores jogos do Sporting CP, e conquistou várias honras nacionais, salvo apenas o título da liga.

    Rui Patrício é hoje um dos melhores guarda-redes da Premier League e é o n.º 1 de Portugal há mais de 10 anos.

     

    8. Ricardo Quaresma

    Nome sinónimo de trivela, Ricardo Quaresma já foi aclamado como um talento maior que Cristiano Ronaldo. Contratado aos 11 anos, Quaresma passou 6 anos na academia antes de se estrear pela reserva em 2000.

    Estreou-se na equipa principal com 17 anos em 2001 e passou dois anos na capital portuguesa antes de garantir a transferência dos seus sonhos para o Barcelona no final da época 2002-2003. Quaresma fez 74 jogos e marcou 10 vezes pelo seu clube.

    Personagem altamente temperamental, Quaresma já viu várias vezes o seu temperamento levar a pior. Movimentos fracassados para o Barcelona e Inter de Milão resultaram no inconstante atacante quase a cair fora dos holofotes antes de uma exibição inspirada com o Besiktas e, mais tarde, a seleção portuguesa o trouxe de volta aos holofotes.

     

    9. José Fonte

    José Fonte foi praticamente desconhecido antes de começar a chamar atenção no St Mary’s Stadium. O defesa natural de Penafiel ingressou no Sporting CP aos 11 anos e passou 8 anos na academia, porém não conseguiu fazer uma única aparição pela equipa titular.

    Apesar disso, Fonte era titular regular da equipa de reserva que jogou na terceira divisão, onde se estreou em 2002. Transferiu-se para o Felgueiras, da segunda divisão, em 2004, e no ano seguinte mudou-se para o Vitória de Setúbal, onde finalmente fez a sua estreia na Primeira Liga em 2005.

    Uma mudança de sonho para o Benfica seguiu-se no ano seguinte, no entanto não conseguiu aparecer pelos gigantes portugueses. Uma transferência para o Crystal Palace em 2007, que se tornou definitiva mais tarde, permitiu ao defesa experimentar o futebol inglês pela primeira vez.

    A decisão de se mudar para a cidade portuária de Southampton em 2010 foi o momento decisivo na sua carreira, ao ajudar o Santos a voltar à Premier League. Sete anos no St Marys foram seguidos por uma transferência para o West Ham em 2017 e depois para o Dalian Yifang da Super League chinesa em 2018. José Fonte está de regresso à Europa a jogar pelo Lille, da Ligue 1.

    O defesa foi titular na primeira equipa portuguesa a vencer a Taça da Europa em 2016.

     

  •  

    10. João Moutinho

    Não existem muitos jogadores de meio-campo portugueses que vêm à mente que sejam mais completos do que João Moutinho. O médio português foi contratado pelo Sporting FC aos 13 anos e trilhou o seu caminho até à equipa principal, tendo-se estreado quatro anos depois.

    Depois de passar quase uma década ao serviço do Sporting e de ter feito mais de 250 jogos pelo clube, Moutinho tomou a polémica decisão ao mudar-se para o rival FC Porto.

    Três épocas com os Dragões foram seguidas por uma transferência de muito dinheiro para o AS Monaco em 2013, que viu o meio-campo português a fazer a sua primeira transferência longe da sua terra natal. Depois de cinco épocas, incluindo uma incrível
    época em 2016-2017 que viu o Mónaco a expulsar o PSG pelo título, o craque mudou-se para a Inglaterra para se juntar ao Wolverhampton Wanderers de Nuno Espírito Santo.

    João Moutinho fez parte integrante da equipa portuguesa que conquistou o Campeonato da Europa de 2016. É também o terceiro jogador na história do futebol português a somar 100 ou mais internacionalizações.



    Mais: , | Por: Rita Ferraz