A situação de 10 jogadores revelação de 2009 em 2019

2009-2019

Terminado o ano de 2019, nada melhor que relembrar alguns dos craques que se revelaram em 2009 e como se encontram e qual o seu percurso até ao transato ano de 2019. Venham dai essas escolhas:

 

1. Aaron Ramsey – Arsenal (2009) – Juventus (2019)

Aaron Ramsey - Arsenal&Juventus

Este jogador oriundo do Pais de Gales, iniciou a sua carreira como futebolista profissional no Cardiff City, onde jogou entre 2007-2008. Posteriormente, transferiu-se para o clube da capital de Inglaterra, o Arsenal de Londres, onde jogou por cerca de 10 anos entre 2008 e 2019, tendo-se transferido em 2019 para o clube campeão italiano – Juventus.

Joga no meio campo na posição de 8 e foi considerado, quando começou a jogar pelo Arsenal, um dos médios mais promissores do futebol europeu. Por este clube venceu 3 FA Cup (2013-14, 2014-15 e 2016-17) e também duas supertaças inglesas (2014, 2015).

Como prémios individuais é possível destacar o prémio de futebolista jovem galês de 2009 e 2010, a inclusão na melhor equipa do Euro 2016, o 73º melhor jogador de 2016 para o The Guardian e também o 54º melhor jogador de 2016 para o jornal A Marca.

Ainda como curiosidade e interessante salientar que os seus golos estão associados à morte de diversas personalidades, como por exemplo a de Osama Bin Laden em 2011 e David Bowie em 2016, num sentido de ter marcado no dia anterior à sua morte.

 

2. Cristian Ericksen – Ajax (2009) – Tottenham (2019)

Christian-Eriksen-Ajax&Tottenham

Com apenas 27 anos é já considerado uma referência do futebol Dinamarquês, este jogador iniciou a sua carreira de futebolista profissional, no poderoso clube da capital Holandesa – Ajax, atuando como médio ofensivo. Jogou neste clube entre 2010-2013, tendo vencido o campeonato holandês em 2010-11, 2011-12 e 2012-13 e também uma supertaça em 2013.

Foi no ano de 2013 que se transferiu para o futebol inglês para alinhar no Tottenham, onde joga até ao momento, encontrando-se às ordens do treinador português José Mourinho. Com uma qualidade de passe acurada, grande visão de jogo e especialista em bolas paradas, é uma das principais peças da nova geração do Tottenham, e já se encontrou associado a diversos clubes europeus entre os quais o Real Madrid.

Em termos individuais foi considerado o melhor jogador do futebol holandês em 2010-2011, e pertenceu a equipa do ano da Premier League de 2017-2018. Destaca-se ainda o fato de ter sido considerado no ano de 2012 o 74º melhor jogador do ano pelo Jornal the Guardian e também o futebolista dinamarquês do ano em 2013, 2014, 2015 e 2017.

 

3. David de Gea – Atlético de Madrid (2009) – Manchester United (2019)

David de Gea

Guarda redes internacional Espanhol de 29 anos, iniciou a sua carreira profissional no Atlético de Madrid em 2009, clube em que se encontrava desde os 10 anos, e se manteve até ao ano de 2011. Neste ano rumou a Inglaterra para defender as cores do Manchester United, clube onde ainda se encontra atualmente.

Pelo Atlético de Madrid conquistou uma Liga Europa na época 2009-10 e também a Supertaça Europeia em 2010. Já no Manchester United, voltou a conquistar a Liga Europa em 2016-17, tendo também vencido a Premier League em 2012-13. Também juntou ao seu palmarés a Taça de Inglaterra em 2015-16, a Taça da Liga Inglesa em 2016-17 e a Supertaça Inglesa em 2011, 2013 e 2016.

Pela Selecção Espanhola apresenta 41 internacionalizações tendo sido chamado desde 2014. Também pela Espanha venceu a Campeonato Europeu de Sub-17 em 2007 e também o Campeonato Europeu em Sub 21 em 2011 e 2013.

Para além destas conquistas colectivas também apresenta no seu palmarés varias conquistas individuais como o 29º melhor jogador do ano de 2016 (The Guardian) e o 62º melhor jogador do ano de 2016 (Jornal A Marca). Acresce ainda o fato de constar na melhor equipa dos Campeonatos da Europa 2011 e 2013, da melhor equipa do ano na Premier League de 2012-13, 2014-15, 2015-16 e 2017-18, da melhor equipa da edição de 2015/16 da Liga Europa e ter obtido a Luva de Ouro da Premier League de 2017-18.

 

4. Eden Hazard – Lille (2009) – Real Madrid (2019)

Eden Hazard

Considerado um dos melhores futebolistas belgas de sempre, Eden Hazard joga como médio ofensivo, extremo e avançado, conhecido por sua criatividade, velocidade, drible e pelo seu excelente passe, representando desde o inicio da presente época os espanhóis do Real Madrid.

Atualmente com 29 anos, iniciou a sua carreira no futebol profissional no Lille em 2007, onde permaneceu até 2012, momento em que foi transferido para a Premier League para o Chelsea, clube pelo qual alinhou entre 2012 e 2019, até ser transferido na presente época para o Real Madrid, por 100 milhões de euros.

Já, quando jogava no Lille, em 2008-09 começou a despertar a interesse de grande tubarões do futebol europeu como Real Madrid, Barcelona, Manchester United, Arsenal e Inter de Milão, embora se tivesse mantido no clube francês na altura.

Em França pelo Lille conquistou um campeonato em 2010-11 e também a Taça de França de 2010-11. Já em Inglaterra, conquistou pelo Chelsea diversos títulos como a Premier League em 2014-15 e 2016-17, a Taça de Inglaterra de 2017-18 e a Taça da Liga Inglesa 2014-15. Acrescenta-se ainda a conquista das Ligas Europa da época passada de 2018-19 e também de 2012-13. A nível de selecções ainda não tem qualquer troféu, embora já conte com 106 presenças na equipa principal e 32 golos, sendo sempre chamado de 2008 por diante.

Como troféus individuais são já inúmeros os que apresenta, sendo os mais relevantes os prémios de melhor jogador jovem da Ligue 1 em 2008-09 e 2009-10, o melhor jogador da Ligue 1 em 2010-11 e 2011-12, a presença na equipa ideal da Ligue 1 em 2009-10, 2010-11 e 2011-12, na equipa ideal da Premier League em 2012-13, 2013-14, 2014-15 e 2016-17, da equipa ideal da Liga Europa de 2018-19, equipa do ano da UEFA em 2017 e 2018, Bola de Prata do Campeonato do mundo de 2018, líder de assistências do mesmo campeonato do mundo e melhor jogador da final da Liga Europa da época passada de 2018-19.

 

5. Erik Lamela – River Plate (2009) – Tottenham (2019)

Erik Lamela

Jogador argentino de 27 anos, joga como médio ofensivo e extremo, representando os ingleses do Tottenham.

Iniciou a sua carreira profissional com 17 anos no River Plate, clube em que começou a destacar-se, sendo mesmo considerado em 2011 como um dos grandes números 10 e comparado com referências do passado, considerando as suas exibições no Torneio Clausura desse mesmo ano.

Em 2011 rumou ao campeonato italiano para representar o Roma até 2013, ano em que se transferiu para o Tottenham, onde se encontra a jogar atualmente, sobre o comando do treinador português José Mourinho.

Apresenta 26 internacionalizações pela Selecção Argentina, tendo marcado 3 golos.

 

 

6. Jack Wishere – Arsenal (2009) – West Ham United (2019)

jack Wishere

Uma das grandes promessas inglesas, este jogador, com atualmente 28 anos, iniciou a sua carreira como futebolista profissional, com apenas 16 anos, pelo clube de Londres – Arsenal, em 2008, atuando no meio campo. Desde 2018 que joga pelo clube, também Londrino, West Ham.

Representando o Arsenal por quase 10 anos, ganhou alguns troféus como a Premier Academy League de 2009, a FA youth Cup também em 2009, a Taça de Inglaterra em 2013-14 e 2014-15 e também a Supertaça de Inglaterra em 2014.

Estreou-se pela Selecção Inglesa em 2010, tendo somado pela mesma 34 internacionalizações e 2 golos.

Como conquistas individuais ganhou o prémio de melhor jogador jovem do ano da Premier League em 2010-11 e também pertenceu à equipa ideal da Premier League da mesma época.

 

7. Mario Balottelli – Inter de Milão (2009) – Bréscia (2019)

Mario Balotelli

Começou a sua carreira no futebol profissional em Lumezzane e jogou pela sua primeira equipa duas vezes antes de fazer um teste malsucedido no Barcelona, posteriormente ingressou no Inter de Milão em 2007. O treinador do Inter, Roberto Mancini, trouxe Balotelli para a primeira equipa, mas quando Mancini saiu, o histórico disciplinar de Balotelli caiu. Teve um relacionamento tenso com o novo treinador José Mourinho e foi suspenso da primeira equipa da Inter em Janeiro de 2009, após vários problemas disciplinares.

Com dúvidas sobre a sua carreira no Inter, o ex-técnico Roberto Mancini tinha se mudado para o Manchester City e decidiu dar a Balotelli uma nova hipótese num novo clube. Juntou-se ao Manchester City em Agosto de 2010, onde as suas performances e atividades fora de campo continuaram a ser enigmáticas e imprevisíveis. Balotelli acabou por perder a graça com Mancini depois de um “campo de treinos” entre os dois em janeiro de 2013. A sua saída da cidade e o seu retorno à Itália com o Milão ocorreram várias semanas depois. Após 18 meses no Milão, ele voltou à Premier League com o Liverpool. Uma época malsucedida com o clube de Merseyside levou ao seu retorno a Milão por empréstimo e à partida subsequente numa transferência gratuita para Nice.

Balotelli conquistou o seu primeiro jogo pela Itália num amistoso contra a Costa do Marfim a 10 de Agosto de 2010. Ele acumulou mais de 30 jogos e representou o seu país na UEFA Euro 2012, na Copa das Confederações da FIFA de 2013 e na Copa do Mundo da FIFA de 2014, ajudou a seleção a chegar à final do Euro 2012 e também conquistou uma medalha de bronze na Copa das Confederações. Junto com Antonio Cassano, ele é o melhor marcador da Itália no Campeonato da Europa da UEFA com três golos. Ele também é o maior goleador da Itália na Copa das Confederações da FIFA, ao lado de Giuseppe Rossi e Daniele De Rossi, com dois golos.

 

8. Mário Götze – Borrussia Dortmund (2009) – Borrussia Dortmund (2019)

Mário Gotze

Jogador de futebol profissional, joga como meio-atacante pelo Borussia Dortmund, da seleção alemã. Embora a sua posição favorita seja a de um craque, Götze também possui velocidade, técnica e habilidade de drible. Em 2010, o então diretor técnico da Federação Alemã de Futebol, Matthias Sammer, descreveu Götze como “um dos melhores talentos que a Alemanha já teve”.

Götze jogou no Borussia Dortmund entre 2009 e 2013, venceu o título da Bundesliga em 2010-2011 e o DFB-Pokal dobrando em 2011-2012, foi membro da equipa que chegou à final da UEFA Champions League de 2013. Em Abril de 2013, uma oferta de 37 milhões de euros do Bayern de Munique acionou uma cláusula de libertação no contrato de Götze, fazendo dele o segundo jogador alemão mais caro até hoje, atrás de Mesut Özil. Passou três épocas no clube, onde conquistou mais três títulos da liga, dois troféus da DFB-Pokal e uma medalha de vencedores em cada uma das Copas do Mundo de Clubes da FIFA e Supercopa da UEFA. Então retornou a Dortmund em 2016, onde acrescentou mais um título do DFB-Pokal ao seu nome.

Götze foi selecionado pela primeira vez para a seleção nacional de futebol da Alemanha em 2010, aos 18 anos. Foi incluído no elenco do UEFA Euro 2012 e, dois anos depois, marcou o golo da vitória na final da Copa do Mundo da FIFA 2014.

 

9. Neymar Jr. – Santos (2009) – Paris St Germain (2019)

Neymar

Neymar Jr. ganhou destaque desde cedo em Santos, onde estreou profissionalmente aos 17 anos. Ajudou o clube a vencer dois campeonatos consecutivos no Campeonato Paulista, a Copa do Brasil e a Copa Libertadores de 2011, sendo o último o primeiro desde o início do Santos. Neymar foi nomeado duas vezes o jogador de futebol sul-americano do ano, em 2011 e 2012, e logo mudou-se para a Europa para se juntar ao Barcelona. Como parte do trio de atacantes do Barça com Lionel Messi e Luis Suárez, venceu a tripla continental da La Liga, a Copa del Rey, a UEFA e a Liga dos Campeões, terminou em terceiro na FIFA Ballon d’Or em 2015 pela sua performance. Alcançou um duplo nacional na época 2015-2016. Em 2017, Neymar foi transferido do Barcelona para o Paris Saint-Germain numa transferência no valor de 222 milhões de euros, tornando-o o jogador mais caro de todos os tempos naquela época.

Em França, ganhou dois títulos da liga, uma Coupe de France e uma Coupe de la Ligue, que incluiu um triplo nacional e foi eleito o Jogador do Ano da Ligue 1, na sua época de estreia. A segunda época de Neymar no PSG foi muito marcada por lesões e marcada por controvérsias.

Com 61 golos em 101 jogos pelo Brasil desde a estreia aos 18 anos, Neymar é o terceiro maior goleador da sua equipa nacional, atrás apenas de Pelé e Ronaldo. Foi um jogador importante nas vitórias do Brasil no Campeonato da Juventude da América do Sul de 2011, onde terminou como ponta de lança, e na Copa das Confederações da FIFA de 2013, onde ganhou a Bola de Ouro como jogador do torneio. A sua participação na Copa do Mundo da FIFA 2014 e na Copa América de 2015 foi interrompida por uma lesão e uma suspensão, respectivamente, no entanto, no ano seguinte, conquistou o Brasil com a sua primeira medalha de ouro olímpica no futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Verão de 2016 e dois anos mais tarde, foi apresentado na Copa do Mundo da FIFA 2018.

Fora do campo, Neymar está entre os desportistas mais importantes do mundo. A SportsPro nomeou o atleta mais rentável do mundo em 2012 e 2013, a ESPN citou-o como o quarto atleta mais famoso do mundo em 2016. Em 2017, Neymar foi incluído pela equipa na lista das 100 pessoas mais influentes do mundo. Em 2018, o France Football classificou Neymar como o terceiro jogador mais bem pago do mundo, e em 2019, a Forbes o classificou-o como o terceiro atleta mais bem pago do mundo.

 

 

10. Xherdan Shaqiri – Basileia FC (2009) – Liverpool (2019)

Shaquiri

Começou a sua carreira no FC Basel, ganhou prémios, incluindo três títulos da Super Liga Suíça, antes de se mudar para o Bayern de Munique, onde ganhou oito prémios nacionais e internacionais, apesar de jogar com menos frequência. Em janeiro de 2015, mudou-se para a Inter de Milão por uma transferência de 15 milhões de euros e, sete meses depois, para Stoke City por um recorde de 12 milhões de libras no clube. Após o rebaixamento de Stoke da Premier League em 2018, Shaqiri foi transferido para o Liverpool antes da época seguinte por uma taxa de 13,5 milhões de libras, fez parte da equipa vencedora da UEFA Champions League na sua primeira época.

Internacional completo desde 2010, Shaqiri ganhou mais de 80 jogos pela seleção e marcou 22 golos pela Suíça. Representou o país nas Copas do Mundo de 2010, 2014 e 2018, bem como no UEFA Euro 2016. A 13 de Julho de 2018, o Liverpool assinou Shaqiri em um contrato de cinco anos depois de acionar sua cláusula de liberação de 13,5 milhões de libras.

Fez a sua estreia não oficial no Liverpool a 29 de julho, num amistoso de pré-época em Ann Arbor, Michigan contra o rival Manchester United e marcou de um chuto de bicicleta numa vitória por 4 a 1. Na sua estreia competitiva a 12 de Agosto, no jogo de abertura da época contra o West Ham United, entrou como substituto tardio numa vitória por 4 a 0. Fez o seu primeiro jogo completo a 22 de Setembro, numa vitória por 3-0 sobre Southampton, e recebeu elogios pela sua performance, rendeu-lhe o prémio BBC Sport Man of the Match.

Shaqiri marcou o seu primeiro golo pelo Liverpool a 27 de Outubro, marcou o terceiro golo numa vitória por 4 a 1 sobre o Cardiff City. Em novembro, foi deixado de fora da viagem da Liga dos Campeões ao Red Star Belgrade, na Sérvia, para evitar controvérsias sobre a suas opiniões pró-albanesas. No mês seguinte, durante o clássico de North West, Shaqiri marcou duas vezes depois de entrar como substituto para conduzir o Liverpool a uma vitória por 3 a 1, que viu o clube registar uma vitória na liga sobre o Manchester United pela primeira vez desde Março de 2014.

A 1 de Junho de 2019, Shaqiri conquistou a sua segunda medalha de campeão da Liga dos Campeões, apesar de não jogar a final contra o Tottenham Hotspur, que o Liverpool venceu por 2 a 0, mas tendo desempenhado um papel fundamental na semifinal contra o Barcelona. Mais tarde, reafirmou a sua intenção de permanecer em Anfield. A 14 de Agosto, Shaqiri conquistou o seu segundo troféu com o clube, vencendo a Supercopa da UEFA contra o Chelsea em pénaltis, após um final regular de 2 a 2. A 4 de Dezembro, após uma lesão prolongada, Shaqiri marcou o seu primeiro golo da época 2019-2020 no derbie contra o Everton, marcando o segundo golo do Liverpool numa vitória por 5 a 2.



Mais: , , , , , | Por: Mário Rocha