10 pratos tradicionais brasileiros

1. Escondidinho

O Escondidinho é uma caçarola tradicional brasileira. Pode ser feito com uma variedade de ingredientes: carne, frango, peixe, porco ou camarão. O original é chamado escondidinho de carne seca, feito com uma combinação de carne seca e salgada e puré de batatas.

A carne seca é cozida com tomate, cebola, alho e diversas especiarias. Ele é colocado numa assadeira, coberto com puré de batatas e queijo ralado. A combinação é assada no forno até dourar por cima. O nome do prato significa pouco escondido, referindo-se à carne escondida sob uma camada de puré de batatas.

 

2. Mocotó

O Mocotó é um popular ensopado brasileiro feito de pés de vaca, feijão e vários vegetais. O nome do prato deriva da palavra mbokotó do Kimbundu. Nutritivo e barato, o ensopado foi originalmente feito por escravos que usavam cortes de carne que eram deitados fora pelos proprietários das terras onde trabalhavam.

Mocotó é especialmente popular nas partes sul e nordeste do Brasil. Embora o principal problema relacionado ao clima no Brasil seja como se refrescar, o mocotó é um cozido de inverno perfeito que aquece, já que faz parte da herança culinária portuguesa, e das partes montanhosas de Portugal que podem ser notoriamente frias.

Os brasileiros costumam consumi-lo no final da noite para evitar uma ressaca, ou de manhã cedo, para curá-la.

 

3. Arrumadinho

O Arrumadinho é um prato brasileiro complexo que geralmente é servido como aperitivo. O prato é uma combinação de quatro elementos organizados e servidos juntos como uma refeição completa. As partes essenciais são fatias, carne seca ao sol, vinagrete de legumes em cubos e misturados, feijão, ervilhas de olhos pretos e farofa, uma mistura de farinha de mandioca tostada.

Todos os ingredientes são temperados com manteiga clarificada, cuidadosamente organizados e servidos num prato. Os quatro elementos do arrumadinho podem ser misturados ou consumidos como pratos individuais. Um prato de arrumadinho geralmente é partilhado por um casal ou um grupo de pessoas, geralmente seguido por um copo de cerveja gelada ou uma caipirinha preparada na hora.

O prato geralmente pode ser encontrado no nordeste do Brasil, mais precisamente no estado de Pernambuco, onde se acredita ter a sua origem. É frequentemente vendido em barracas de comida como um lanche, mas também é servido como aperitivo em restaurantes elegantes.

 

4. Arroz carreteiro

Arroz carreteiro ou arroz de vagão é um prato saudável de arroz e carne vindos do sul do Brasil. Originalmente, foi preparado por gaúchos que precisavam de uma refeição nutritiva para as suas viagens. Naquela época, o arroz carreteiro era feito com carne seca, porém hoje pode ser feito com carne seca ou sobras de churrascos.

Outros ingredientes incluem arroz, cebola, linguiça, pimentão, alho, óleo e salsa. Quando servido, o arroz carreteiro geralmente é coberto com parmesão ralado.

 

5. Vaca atolada

É um prato de carne brasileiro preparado com costelas, alho, cebola, tomate, salsa, mandioca, pimenta e (se disponível) colorau moído (semente de urucum). A carne marinada é cozida e ensopada num molho espesso, daí o outro nome do prato, vaca presa na lama.

Este prato de carne picante é tradicionalmente servido com arroz branco, enquanto saladas verdes frescas são frequentemente servidas ao lado. A vaca atolada é especialmente popular nas regiões internas do Brasil, particularmente no estado de Minas Gerais.

 

  •  

    6. Vatapá

    Rico, substancial e com sabor tropical. O vatapá é um dos pratos brasileiros mais famosos, prato principal que consiste numa combinação de pão velho, peixe, camarão, leite de coco, farinha de mandioca, óleo de palma dendê e castanha de caju.

    O prato é frequentemente consumido com arroz branco ou como recheio para bolinhos de acarajé, outro prato popular brasileiro. De cor amarela brilhante, o vatapá é uma especialidade da Baía, um estado na costa nordeste do país que é fortemente influenciado pelos africanos ocidentais que foram trazidos para o país como escravos.

    Embora as origens deste prato sejam desconhecidas, a maioria dos historiadores da culinária concorda que ele foi inventado na Baía, mesmo que o conceito básico do prato tenha vindo da África.

     

    7. Pavê

    O Pavé é um popular bolo de sobremesa feito em camadas, é semelhante ao tiramisu e não precisa de cozer. Este bolo de camadas consiste numa combinação de biscoitos, creme, ovos, leite condensado e chocolate. É uma sobremesa tradicional no Brasil, onde cada família tem a sua própria variante, por isso existem receitas de morango, abacaxi, chocolate branco, coco, pavé de amendoim, entre outros.

    A única coisa importante é servir o bolo frio e apreciar seus sabores, texturas e variedades únicos.

     

    8. Romeu e Julieta

    Não se sabe ao certo por que esta sobremesa brasileira incomum recebeu o nome da famosa peça de Shakespeare, porém a combinação doce e salgada de Romeu e Julieta é apreciada em todo o Brasil, onde é servida como lanche ou como sobremesa. É rápido e fácil preparar o Romeu e Julieta, basicamente consiste numa fatia grossa de queijo branco fresco (geralmente queijo de minas ou canastra) e uma fatia igualmente grossa de goiabada (goiaba descascada, água e açúcar).

    A salinidade do queijo combina muito bem com a textura e a doçura da goiabada, a maioria dos brasileiros combina os dois num garfo e consomem numa única mordida. Como a goiabada e o queijo mantêm-se bem e são um alimento básico da maioria dos lares brasileiros, basta fatiar os dois ingredientes e servi-los num prato, proporcionando um ótimo acabamento para a refeição sem ser muito pesado no estômago.

    A combinação também está disponível numa variedade de outros pratos, Romeu e Julieta com torradas, queijos e até pizzas.

     

    9. Maria-mole

    Maria-toupeira, traduzida literalmente para Mary mole, é uma sobremesa popular brasileira com aparência semelhante a um “marshmallow”, porém ainda mais suave, geralmente feita de açúcar, gelatina, coco e claras de ovos. A sobremesa é tão popular que existem até misturas instantâneas para fazer em casa.

    Maria-mole foi inventada em São Paulo por Antonio Bergamo, um pasteleiro que queria usar todas as sobras da clara de ovo para fazer outros tipos de doces. Hoje, a sobremesa é tradicionalmente servida durante os festivais católicos de junho, chamados Festas Juninas.

     

  •  

    10. Tacacá

    O Tacacá é uma sopa brasileira de tirar o fôlego, feita com camarões secos grandes, tucupí (subproduto da mandioca selvagem), alfavaca (manjericão selvagem da Amazónia), amido de mandioca, pimentão amarelo quente e jambú, uma planta frondosa com propriedades anestésicas.

    Para fazer o tucupí, o sumo extraído de uma variedade específica de mandioca ácida chamada mandioca brava é fervido e deixado para fermentar para eliminar os altos níveis de cianeto que possui na sua forma bruta. Após o terminado este processo de fermentação, o molho resultante é diferenciado por uma cor amarelada e um sabor intensamente ácido.

    A sensação de adormecer a boca quando provamos a sopa vem da planta do jambú, que além de ser usada na culinária, também tem uma longa tradição como remédio popular no norte do Brasil, especialmente nos estados do Pará e Amazonas. No norte do Brasil, a sopa é normalmente vendida à tarde, geralmente por vendedoras chamadas tacacazeiras.

    É tradicionalmente servido bem quente em cabaças ocas conhecidas como cuias, embora alguns vendedores a ofereçam em tigelas de cerâmica. Não é necessária nenhuma colher para comer tacacá, pois a maneira tradicional de a consumir é beber diretamente da tigela.

    Curiosamente, a maioria dos fornecedores que vendem esta iguaria não fazem ideia das quantidades de ingredientes usados ​​para a sopa, pois não usam uma receita fixa.



    Mais: , | Por: Sandra Melo