10 dicas de orientação financeira

1. Investir em você

A primeira dica é investirmos em nós mesmos, ou seja, explorar nossas habilidades ao máximo e investir nos nossos pontos fortes, pois, elas podem nos render muito dinheiro. Assim, pensem sobre os projetos que podem explorar de modo a colocar em prática estas habilidades. O que realmente sentem vontade de implementar e realizar através dos pontos fortes identificados e caso não tenham claro na mente de vocês quais são estes pontos fortes, procurem uma ajuda de um coach vocacional e de carreira.

 

2. Não seja um amador

Não agir como um amador significar não gastar o seu dinheiro sem um planeamento prévio e sem pesar e medir as consequências dos seus gastos. Assim, se desejas aumentar o seu padrão de vida, será necessário poupar algum dinheiro e reservar algum para reinvestimento, pois, nenhuma pessoa que gasta logo tudo aquilo que recebe, conseguirá acumular algum patrimônio e fazê-lo render ao longo do tempo. Aprende a poupar e a ser disciplinado com as suas finanças é algo essencial e deveria ser ensinado desde cedo a todos nas escolas.

 

3. Consulte um profissional de investimentos

É necessário buscar uma ajuda profissional caso queira fazer investimento de maior risco. Assim, se tiver uma boa quantia e quiser fazer seu dinheiro render, há diversas modalidades de investimento. É possível investir em mobiliário, obras de arte, automóveis, além de investimentos bancários e bolsa de valores. Entretanto, é importante estar atento aos momentos de crise econômica, que podem não ser oportunos para pensar em investimentos de maior porte. Por isso, é válido procurar perceber melhor sobre os tipos de investimento possíveis e pedir um aconselhamento de profissionais da área antes de tomar qualquer decisão de investimento.

4. Invista sempre antes de gastar

Sempre que obtivermos algum lucro proveniente no nosso trabalho ou negócio, é importante guardarmos parte dele para investirmos em algo que possa servir para multiplicar o dinheiro que ganhamos. Por isso, é tão importante, antes de gastarmos, ponderarmos se realmente estamos fazendo um bom uso do nosso dinheiro ou se estamos a gastar com coisas desnecessárias ou não prioritárias para o momento.

 

5. Reflita antes de fazer uma nova compra

Antes de fazer uma nova compra, não a faça por impulso. Reflita previamente se realmente precisa comprar aquilo que pensa em comprar, se é prioritário ou urgente, se é algo que já comprou e se faz sentido comprar novamente, se realmente tem dinheiro no momento para fazer tal compra, se o preço está caro e se é acessível no momento.

Muitas vezes compramos coisas parecidas com outras que já temos e acabamos por não usar aquilo que compramos, como, por exemplo, roupas, bolsas e sapatos, que ficam no armário e praticamente nunca usamos. Assim, é preciso avaliar se vale realmente a pena comprar o produto ou serviço e comparar com os valores da concorrência.

 

 

6. Avalie quanto vale cada hora de trabalho

É importante conseguirmos avaliar quanto vale cada hora de trabalho nossa, o que nos ajudará a calcular o valor do nosso patrimônio e renda e organizar o meu tempo de modo a conseguir ganhar mais dinheiro e acumular mais patrimônio.

 

7. Aprenda a ver a venda como algo bom

A venda é uma das formas mais promissoras de ganhar dinheiro. Por isso, não deveríamos enxergar as vendas como algo ruim. Entretanto, muitas vezes nos é ensinada uma visão da venda associada a enganação ou mentira para conseguir fazer com que um cliente compre algo. Entretanto, apesar da venda ter um componente relacionado a persuasão e convencimento, isto não deve ser associado a algo ruim desde que sejam apresentados com sinceridade as vantagens e benefícios daquilo eu se pretende vender. Por isso, é importante tentarmos vender algo que para nós tenha algum valor ou utilidade. O tempo todo, mesmo quem não é um vendedor direto, estamos a vender a nossa imagem pessoal ou mesmo a empreender algo. Por isso, a venda de um produto ou serviço não é muito diferente disto que poder fazer o tempo todo diariamente em nossas vidas.

 

8. Esteja atualizado sempre acerca da concorrência

É preciso estarmos atentos as tendências do mercado, ou seja, saber quais são as tendências em relação ao meu produto ou serviço e estar sempre tentando agregar um novo diferencial ou valor ao produto ou serviço que desejo vender em relação os meus concorrentes de mercado.

 

9. Diversificar o investimento

Para que não corramos um risco alto de perder dinheiro, é válido apostarmos na diversificação dos nossos investimentos e fontes de renda, ou seja, não apostarmos todas as nossas fichas em um único tipo de investimento, por exemplo, arrendamentos.

Atualmente, o cenário é instável, o avanço tecnológico causa modificações aceleradas nos perfis profissionais exigidos pelo mercado e até mesmo muitas profissões que hoje ainda existem ou estão a ser promissoras, no futuro poderão deixar de existir ou serem substituídas por novas profissões.
Assim, o futuro é incerto e é exatamente por isso que há uma perspetiva de que o profissional do futuro, que terá um lugar de sucesso num futuro relativamente próximo, será aquele que buscar desenvolver mais aptidões e que esteja preparado para exercer diversas funções em simultâneo, ou seja, num mesmo momento de vida. Dessa forma, é possível pensar em ter um negócio próprio, ter um negócio online, promover vendas e ser um formador em simultâneo por exemplo.

 

10. Não procrastine as ações

A procrastinação é inimiga do nosso sucesso. Por isso, pare de dar desculpas a si próprio para não começar logo a agir. É claro que é preciso termos uma base de preparação, por exemplo, se queremos empreender numa dada área. Entretanto, há pessoas que pensam que sempre é preciso algo mais e que nunca se sentem preparadas, o que reflete a nossa insegurança em nós mesmos. Por isso, tenha em mente que 100% preparados nós nunca estaremos, até por que os imprevistos podem acontecer a qualquer tempo e há coisas que só aprendemos com o decorrer da experiência. Assim, começar a agir já é por si só uma forma de preparação.



Mais: , , | Por: Flávia Negrini