10 Descobertas Incríveis dos Telescópios

telescópios

O Universo do qual fazemos parte está cheio de mistérios que a comunidade científica e astronômica investiga e busca soluções, mas há eventos cósmicos e astros que são estranhos a nossa compreensão e causam confusão nos pesquisadores. Vamos falar sobre alguns desses fenômenos que até hoje despertam a curiosidade e estranheza.

 

1. Uma Nebulosa em formato de unicórnio

Estamos a nos referir a um mecanismo psicológico, quando atribuímos formatos já familiares a objetos ou formas não regulares, sendo que, nesse caso, enxergamos a forma de um unicórnio na Nebulosa Trífida, uma gigantesca nuvem gasosa situada na constelação de Sagitário, podendo ser visualizadas uma variedade de outras cores e formatos atribuídos a essa mesma nebulosa, constituída por estrelas novas ainda em processo de formação.

 

2. Um Buraco Negro Lançado no Espaço

Localizado há 4 milhões de anos-luz da Terra, no chamado sistema CID-42, duas galáxias entraram em colisão e, no momento dessa colisão, dois buracos negros supermassivos situados na zona central de cada galáxia também entraram em colisão. Assim, estes se uniram para dar origem a um buraco negro maior, que sofreu um recuo frente as ondas de gravitação geradas por este encontro, tendo sido o recente buraco negro projetado para fora da galáxia a milhões de quilômetros por hora. Tal facto identificado pelo Observatório de raios-X Chandra da NASA, causou forte impacto científico, uma vez que pode ter sido pela primeira vez evidenciado que esses tais buracos negros podem viajar pelo Universo sem serem notados.

 

 3. Os Quasares

Os quasares são objetos que emitem intensa luz, tendo sido detectados na região central de certas galáxias e é suposto que nasçam quando um buraco negro, situado no núcleo das galáxias, inicia um processo de aspiração da matéria circundante. Assim, a rapidez desse fenômeno gera uma liberação enérgica muito grande que é manifestada por ondas de rádio, luz, radiação infravermelha, ultravioleta e raios-x. Aqueles com um brilho mais intenso, causam ofuscamento nas estrelas das galáxias onde se situam, o que permite que sejam vistos a longas distâncias, ou seja, estamos a falar de bilhões de anos-luz, sendo, assim, o fenômeno de maior luminosidade e distância de nós já identificado no espaço.

 

4. As Galáxias Canibais

Tal fenômeno evidencia que quando certas galáxias param de produzir suas próprias estrelas, elas começam a absorver ou “canibalizar” outras galáxias que as circundam, como um meio de seguirem sua expansão. Assim, profissionais da astronomia na Austrália, estudando um número superior a 22 mil galáxias, perceberam que as galáxias menores possuem maior potencial de formação de novas estrelas através de gazes, enquanto as maiores carecem de material para geração de outras estrelas, precisando ingerir outras menores para a sua expansão, como deve ter sido o caso da nossa galáxia, segundo apontam os cientistas.

 

5. O material possuidor de maior força no Universo: A Pasta Nuclear

Uma equipa de investigadores, no ano de 2008, detectou um material possuidor de 100 trilhões de vezes maior força que o aço, situado na parte interna da camada ou crosta que circunda as estrelas de nêutrons que têm origem na região nuclear colapsada de uma estrela considerada de maior tamanho. Assim, o material contido na parte interna da superfície desses astros foi percebido como o material possuidor de maior força no universo. Dessa forma, no interior desta camada, os nêutrons e os prótons ficam postos em camadas e, por isso, tal material foi chamado de pasta nuclear.

 

6. Explosões rápidas de rádio

Tais explosões de rádio são um evento cósmico intensamente energético sobre o qual não sabemos ainda de onde surgiu, sendo expresso por meio de um pulso de rádio com duração de milissegundos em diversos pontos do espaço externos a nossa galáxia. Assim, diferentemente das ondas de rádio, o sinal do evento explosivo é identificado muito rapidamente, com intensidade capaz de produzir um ruído ao fundo, acontecendo em apenas um ápice energético, sem modificação com o decorrer do tempo, tendo sido vistas em diversas galáxias recentemente, apesar de ainda não saberem o que deu origem a sua formação.

 

7. Uma estrela esquisita: A KIC 8462852

Uma estrela que despertou mistério, denominada de Tabby, é um pouco mais luminosa que o Sol e está situada a mais de 1400 anos-luz do nosso planeta. O famoso Telescópio Kepler da NASA apontou uma maneira esquisita de comportamento dessa estrela, pois, há momentos nos quais ela reduz em até 20%, o que indica a presença de algo ao redor da sua órbita que pode estar a atuar como uma barreira a luz que a estrela emite. Assim, uma das suposições mais pensadas é a de que restos de um cometa foram puxados para uma órbita não muito distante da estrela, porém, outra ideia é que o tal objeto possa habitar uma sociedade mais avançada do ponto de vista tecnológico, que tenha criado uma superestrutura capaz de servir de barreira a luz do astro.

 

8. Uma Lua única chamada Hiperión

Hiperión é uma das luas mais pequenas de Saturno, sendo um astro muito peculiar, pois, possui uma forma não-regular de aspeto ainda não explicado, parecido com uma esponja. Uma das suposições acerca da sua forma é de que esta lua seja uma parte de um satélite de tamanho maior, que foi fragmentado em partes como consequência de uma forte colisão ocorrida há tempos, pois, está cheia de buracos, apresentando densidade extremamente pequena. Assim, a órbita de Hipérion está exposta a forças gravitacionais do planeta Saturno, o que faz com que realize curvas que não é capaz de controlar, sendo a sua rotação muito irregular, variando de uma órbita para outra subsequente.

 

9. O Primeiro Neutrino detetado

Os neutrinos são uma das partículas subatômicas menores, que é alvo de estudo na atualidade pela comunidade científica, e uma das que mais estão presentes no universo. Entretanto, pelo facto de quase não terem interação alguma com a matéria, são muito difíceis de serem detectadas. Um neutrino, em 2017, afetou nosso planeta Terra, tendo gerado forte mobilização dos cientistas, uma vez que perceberam que este havia sido atirado há 4 bilhões de anos por uma fonte energética condensada, um buraco negro supermassivo, situado na região nuclear de uma galáxia, que vinha consumindo todo o seu material circundante.

 

 

10. Himiko: Um Universo bebê

O telescópio japonês Subaru, situado no Havaí, nos EUA, no ano de 2009, identificou algo incrível: HumiKo. No começo, era semelhante a uma enorme nuvem no espaço, mas notaram que tratava-se de uma galáxia que possui um halo formado de gás aquecido que brilha e que se amplia por 55 mil anos-luz do nosso planeta, tendo sido atribuído à galáxia tal nome para homenagear uma rainha das lendas japonesas. A galáxia não é apenas grande, mas está muito distante de nós. Assim, por meio de telescópio, a galáxia Himiko pertence a um período que equivale a aproximadamente 800 milhões de anos depois do Big Bang, quando o atual universo possuía somente 6% do tamanho que tem hoje e as galáxias ainda estavam começando a nascer. Por isso, os pesquisadores se surpreenderam por não conseguirem dar uma explicação para este fenômeno, pois, a galáxia HumiKo não se adapta à tradicional e histórica teoria sobre a idade do universo.

Veja 10 modelos de telescópios disponíveis para venda online:

1-SCTW-70 Astronomical Telescope

2- Telescópio astronômico IPRee

3- BEEBEST XA90 

4- Telescópio astronômico CELESTRON

5- Telescópio astronômico 70 mm

6-Telescópio astronômico refletor

7- Celestron SCTW-102EQ3

8- BOSMA 150/1800 Telescópio astronômico

9- F360/60mm HD Telescópio

10- Telescópio astronômico 70 mm



Mais: , | Por: Flávia Negrini