10 curiosidades sobre Yves Saint Laurent

Toda a gente sabe que Paris é o epicentro do mundo da moda. Inúmeros designers, desde Louis Vuitton e Coco Chanel a Christian Dior e Jean-Paul Gaultier, reinventaram a moda enquanto encontravam inspiração na cultura e na nova cena de Paris. Entre eles, é claro, estava Yves Saint Laurent. Talvez a figura mais célebre da sua época no mundo da moda francesa, Yves Saint Laurent viveu uma vida fascinante e muitas vezes inesperada.

 

1. Uma infância surpreendente

Embora o seu nome seja sinónimo da moda francesa, Yves Saint Laurent não nasceu ou foi criado em França. Na verdade ele passou a sua infância em Argel, a capital da Argélia, que na época era uma colónia francesa. Nasceu na Argélia a 1 de Agosto de 1936, com o nome de Yves Henri Donat Mathieu-Saint-Laurent, que encurtou depois de se tornar famoso.

Yves Saint Laurent interessou-se por moda desde muito jovem, quando criança, ele até desenhou vestidos para a sua mãe e para as suas irmãs. Como um estudante na Argélia, entretanto, os seus gostos sofisticados distinguiam-no dos seus colegas de turma. Costumava sofrer de bullying na escola. Essa experiência permaneceu com ele e talvez até o motivou a ter sucesso na sua carreira em França. Mudou-se para Paris aos 17 anos.

 

2. Uma estrela em ascensão

A sua própria marca é tão conhecida e bem-sucedida que é difícil imaginar Yves Saint Laurent antes da sua fama. Teve a sua primeira incursão na moda depois de vencer um concurso de desenho. Na recepção, ele conheceu o editor da Vogue francesa, que percebeu que os desenhos de Yves Saint Laurent se assemelhavam a alguns que o mestre designer Christian Dior tinha desenhado e mostrado à Vogue naquela mesma manhã.

O editor apresentou Yves a Dior, que o contratou na hora. Yves subiu rapidamente na hierarquia da grife. Aos 19, ele tornou-se o segundo ao comando da Dior. Após a morte repentina de Dior em 1957, Yves, de 21 anos, tornou-se o diretor criativo da Dior. Os seus designs em 1958 tinham salvado a marca da ruína financeira.

 

3. Sucesso interrompido

Até 1960, o dono da Dior (e chefe de Yves) pressionou o exército francês para poupar Yves do recrutamento, no entanto depois de uma temporada lenta em 1960, ele desistiu para poder substituir o designer. Yves foi então convocado para servir no exército francês em sua casa da infância na Argélia. O estilista não era muito adequado para a vida militar, ele durou 20 dias de trote e treino no Exército antes de sofrer um colapso nervoso e ser transferido para um hospital militar.

Lá, ele foi submetido a vários tratamentos traumáticos, desde sedativos e drogas psicoativas até terapia de eletrochoque. Yves recebeu alta do hospital apenas para descobrir que tinha sido despedido da Dior. Embora talvez não seja um facto engraçado sobre Yves Saint Laurent, o breve período afetou profundamente o designer.

 

View this post on Instagram

A post shared by TallerSapapo (@tallersapapo)

4. Regressou ao sucesso melhor do que nunca

Tendo se separado da Dior (e processado o seu chefe por violar o seu contrato), Yves e o seu parceiro romântico Pierre Bergé fundaram uma casa de moda própria: Yves Saint Laurent YSL. Foi com a sua própria marca que o estilo de Yves atingiu o auge da sua influência. Os seus designs muitas vezes obscureciam as distinções anteriormente rígidas entre os géneros talvez o exemplo mais famoso disso fosse o Le Smoking, um conjunto de smokings para mulheres com decote baixo.

Outro destaque desse período foi a sua linha de vestidos inspirada na geometria das obras do pintor Mondrian, que acrescentou toques ousados de cor ao paladar a moda francesa. Saint Laurent também iniciou a primeira linha de roupas prontas a vestir de qualquer designer da alta costura, ajudando a tornar a sua arte o mais amplamente disponível para todos.

 

5. Deixou um legado excecional

Infelizmente, Yves Saint Laurent morreu de cancro no cérebro em 2008, aos 71 anos. Em 2009, o seu parceiro Pierre Bergé leiloou a sua coleção de arte de mais de 700 items para arrecadar dinheiro para pesquisas sobre a AIDS, dizendo que a arte não fazia sentido para ele sem Yves, o leilão rendeu quase 350 milhões de euros. Em 2014, o designer foi o tema de não um, mas de dois filmes biográficos dramáticos (Yves Saint Laurent e Saint Laurent), ambos repletos de curiosidades sobre Yves Saint Laurent. Ele e a sua marca permanecem queridos pelo povo de Paris e por todo o mundo da moda.

Quando estiver em Paris, não deixe de conferir a Fondation Pierre Bergé, Yves Saint Laurent (5 Avenue Marceau), um museu localizado no estúdio do designer e dedicado ao seu trabalho e influência.

 

 

6. A fama

Yves Saint Laurent tornou-se uma figura proeminente na cena festiva parisiense dos anos 1960 e 70, socializando com nomes como Andy Warhol, Lauren Bacall e Bianca Jagger. Bianca Jagger ficou famosa por usar um smoking branco Saint Laurent, aberto até à cintura, quando se casou com Mick Jagger em 1971.

 

View this post on Instagram

A post shared by 𝑁𝑖𝑘𝑘𝑦 𝑡ℎ𝑜𝑚𝑎𝑠 (@nikky_v)

7. O poder da mulher

Yves Saint Laurent criou o icónico casaco Le Smoking em 1966. O casaco de veludo ou smoking de lã tornou-se sinónimo da estética andrógena característica de Saint Laurent. Muitas vezes usado sem nada por baixo, o visual inspirado na gravata preta tornou-se a antítese do Little Black Dress e uma declaração de estilo atemporal para a mulher moderna.

 

View this post on Instagram

A post shared by Yves Saint Laurent (@ysl._community)

8. A evolução

Hedi Slimane foi nomeado diretor de coleções de roupas masculinas da Yves Saint Laurent em 1996, e foi nomeado diretor artístico de roupas masculinas no ano seguinte. Ele é famoso por apresentar uma nova silhueta slimline para a marca em 2000, saindo logo depois, apenas para voltar a ser diretor criativo em 2012, quando mudou o nome da marca para Saint Laurent.

 

View this post on Instagram

A post shared by Platonas Papagiannopoulos (@platonpap)

9. Foi o primeiro designer vivo a ser homenageado pelo Metropolitan Museum of Art

Em 1983, o Metropolitan Museum of Art de Nova York anunciou que a exposição do Costume Institute seria totalmente dedicada às obras de Saint Laurent. Seria a primeira retrospectiva do trabalho de um costureiro vivo. A mostra, intitulada “Yves Saint Laurent: 25 Anos de Design”, foi organizada por Diana Vreeland e exibiu 243 das criações mais extraordinárias do designer, incluindo os famosos designs inspirados em Mondrian e Matisse de 1965, e o casaco de noiva de veludo bordado com as palavras “Love Me Forever Or Never”, uma alternativa ao vestido de noiva branco e esvoaçante.

 

 

10. Posou nu

Aparentemente, YSL posou nu para a sua primeira eau de toilette para homens, Pour Homme em 1971, muito antes de Marc Jacobs tirar tudo para a Bang. Em 1997, numa revista de negócios, Pierre Bergé, parceiro de negócios de Saint Laurent, afirmou sobre a imagem: “Foi apenas uma provocação da parte de Yves Saint Laurent.

A imagem não teve como alvo específico a população gay, embora tenha ressoado fortemente entre eles. Em todo caso, a fotografia quase não foi publicada naquela época. Quase não saiu na imprensa francesa. Só muito mais tarde é que se tornou um ícone quase mítico.



Mais: , | Por: Sandra Melo