10 curiosidades sobre Sérgio Conceição

Provou ser uma das maiores figuras da história do futebol português, tanto como jogador, quando jogou por muitos clubes europeus, tanto quanto como treinador, agora que está ao comando do FC Porto.

Sérgio Conceição, nasceu a 15 de Novembro de 1974 em Coimbra, é um ex-futebolista profissional português e atual treinador de futebol. Atuou como meio-campo por muitas equipas da Europa e Ásia e pela seleção portuguesa. Neste momento, é o treinador principal do gigante português FC Porto.

Ao longo da sua carreira de jogador, Conceição era conhecido pela sua velocidade e poder, juntamente com as suas boas habilidades de passe e chutos bastante precisos. Depois de iniciar a carreira no FC Penafiel, Conceição fez a sua estreia profissional no FC Porto, onde assinou em 1996.

Depois de duas épocas vencedoras do campeonato português, mudou-se para a Itália, a jogar pela SS Lazio, Parma e Internazionale. Foi fundamental nos anos de sucesso da Lazio em meados da década de 2000, quando conquistou a Taça das Taças e o título da liga italiana. No total, Conceição passou seis anos na Itália antes de voltar para o Porto por um curto período. Jogou na Bélgica, Kuwait e Grécia nos últimos anos da sua carreira. A sua longa carreira de jogador terminou no PAOK FC em 2010.

Sérgio Conceição foi durante muito tempo um dos principais jogadores da seleção portuguesa de futebol. Estreou-se em 9 de Novembro de 1996 contra a Ucrânia, e esteve presente na Euro 2000 e na Copa do Mundo de 2002. Conceição marcou três golos contra a Alemanha em 2000 e levou Portugal às semi-finais. No entanto, em 2002 Portugal foi eliminado na fase de grupos.

Perdeu o Euro 2004 no seu próprio país devido a uma lesão. Desde então, não voltou a ser convocado para a seleção nacional, já que jogadores mais jovens como Deco e Cristiano Ronaldo eram os favoritos. Em várias ocasiões, Conceição manifestou a sua insatisfação à Federação Portuguesa de Futebol por não o convocar novamente.

Em Junho de 2010, mudou-se para o clube belga Standard Liege e foi nomeado assistente técnico ao lado do seu amigo Dominique D’Onofrio. Durante o verão de 2011, ele deixou o clube, juntamente com D’Onofrio. O seu primeiro emprego como treinador principal em Janeiro de 2012 com a equipa da primeira divisão portuguesa Olianense. Levou a equipa a um 8º lugar na sua primeira época, que foi a melhor posição para a equipa desde a época de 1963 / 1964.

Entre 2013 e 2017, trabalhou como treinador da Académica, do Braga, Vitória Guimarães e Nantes antes de assinar como treinador principal do Porto. Foi anunciado a 5 de Junho de 2021 que o seu contrato com o Porto foi prorrogado por mais 3 anos, até 2024.

 

1. Os primeiros tempos de Sérgio Conceição

Conceição começou a sua carreira profissional com o pequeno clube FC Penafiel em 1993. Durante a única época que passou no clube, Conceição conseguiu jogar 30 partidas para eles no campeonato e marcou um golo. Apesar de não ter marcado muitos golos durante a sua passagem pelo Penafiel, as suas boas atuações chamaram a atenção dos clubes maiores.

Em 1994, ingressou no Leça FC, que na época jogava na segunda divisão do sistema da liga portuguesa. Lá, disputou um total de 24 partidas na segunda divisão portuguesa e conseguiu marcar três golos, firmando-se como um dos melhores jovens jogadores do clube português.

Na época de 1995 a 1996, transferiu-se para o FC Felgueiras, da segunda divisão portuguesa. Depois de adquirir a experiência de primeira equipa tanto no FC Penafiel como no Leça FC nas duas épocas anteriores, desempenhou um papel fundamental no FC Felgueiras, onde disputou 30 jogos pelo seu novo clube e marcou quatro golos para chamar mais a atenção dos maiores clubes portugueses.

 

2. A jogar pelo FC Porto

Em 1996, tendo provado o seu talento na segunda divisão, foi contratado pelos gigantes portugueses FC Porto.

Na época de 1996 a 1997. Sérgio Conceição disputou o seu primeiro jogo pelo FC Porto a 18 de Agosto de 1996, na primeira mão da final da Supertaça Cândido de Oliveira frente ao Benfica, entrou em campo aos 66 minutos, substituindo Edmílson.

Um mês depois, na segunda mão, jogou os 90 minutos completos como médio direito do FC Porto, onde deu a assistência ao 4º golo da sua equipa a Arnold Wetl. Após os dois jogos, o Porto venceu por 6-0 e sagrou-se campeão da Supertaça Cândido de Oliveira.

Enquanto no campeonato o treinador do Porto nunca colocou Sérgio Conceição durante toda a época, no entanto ele conseguiu um bom tempo de jogo na Liga dos Campeões. O seu primeiro jogo europeu foi o Grupo D da partida da Liga dos Campeões daquela época contra o AC Milan, em que ele começou a partida e jogou os 90 minutos completos. O Porto venceu esse jogo por 2-3.

Jogou em todos os cinco jogos restantes da fase de grupos contra o AC Milan, IFK Göteborg e Rosenborg BK. Depois de passar da fase de grupos, o FC Porto defrontou uma forte equipa do Manchester United a 3 de Maio de 1997, em Old Trafford. Sergio Conceição começou a partida e foi substituído aos 87 minutos, enquanto a sua equipa perdia por 4 a 0 contra os Red Devils. Esta foi sua última partida na época de 1996 – 1997.

Na época seguinte, foi ainda mais influente, pois marcou oito golos no campeonato, que o FC Porto voltou a vencer, e também conquistou a Taça de Portugal frente ao Braga. Com as suas boas atuações nas duas época anteriores como um dos jovens prospectos do FC Porto, houve interesse de muitos clubes europeus em contratá-lo, e foi na janela de transferências de Verão de 1998 que uma transferência de 10 milhões de euros para a Lazio foi finalizada.

 

2. A jogar pela Lazio

Sergio Conceição fez sua estreia pela Lazio a 29 de Agosto de 1998, onde foi titular na partida da Supercopa Italiana contra a Juventus. Graças a um golo do jovem futebolista português, a Lazio conseguiu vencer por 1-2 e sagrar-se campeã. Com um golo na estreia, Sérgio Conceição foi considerado uma grande contratação para a sua nova equipa.

A sua seguinte partida pela Lazio aconteceu cerca de uma semana depois, no jogo de ida da segunda rodada da Copa da Itália, contra o Cosenza Calcio, onde jogou toda a partida e venceu por 2 a 1. Fez outras quatro aparições na Copa da Itália de 1998 – 1999 pelo seu clube e deu uma assistência ao seu companheiro de equipa Roberto Mancini na partida de ida das oitavas de final contra o Milan.

Estreou-se também na Taça dos Vencedores das Taças a 17 de Setembro de 1998, na primeira mão da primeira eliminatória frente ao FC Lausanne-Sport, onde jogou apenas 67 minutos e o jogo terminou num empate 1 a 1. No jogo de volta contra a seleção suíça, ele marcou um dos golos da sua equipa, ajudando a terminar em 2 a 2 e avançando para as oitavas de final na regra dos golos fora de casa.

Na Taça dos Vencedores das Taças daquele ano, a Lazio conseguiu chegar à final. Eles jogaram o lado espanhol RCD Mallorca em 19 de Maio de 1999, onde Sérgio Conceição jogou 34 minutos e venceu por 2 a 1, conquistando assim seu primeiro título europeu.

Sergio Conceição estreou na Serie A em 13 de Setembro de 1998 numa partida fora de casa contra o Piacenza Calcio 1919, jogando 45 minutos na partida que terminou em 1 a 1. Na 5ª rodada da Série A 1998 – 1999, Sérgio Conceição conseguiu jogar na Lazio, no jogo fora de casa contra a Inter de Milão, que venceu por 3 a 5. No jogo de volta contra a Inter de Milão, mais uma vez marcou um golo para ajudar a sua equipa a vencer por 1 a 0 em casa.

Na seguinte partida contra o LR Vicenza, marcou outro golo para a Lazio, antes de marcar seu último Serie A golo na 26ª jornada frente ao Venezia FC, num jogo que venceu em casa por 2 a 0. No total, Sergio Conceição disputou 44 partidas pela Lazio em todas as competições, marcou 7 golos e deu 1 assistência aos companheiros.

A época de 1999 – 2000 começou para Sérgio Conceição no primeiro jogo da Série A da época a 30 de Agosto de 1999, onde jogou 59 minutos contra o Cagliari Calcio. A 3 de Outubro de 1999, na partida contra o AC Milan, deu assistência a Marcelo Salas para o terceiro golo da sua equipa na partida, que terminou em 4 a 4.

O seu primeiro golo da época da Serie A foi contra o AC Perugia Calcio a 4 de Dezembro, onde conseguiu vencer por 2 a 0. Naquela época, também marcou outro golo na Serie A na 33ª rodada contra o Bologna FC 1909, ajudando a sua equipa a vencer fora de casa por 2 a 3.

Na sua primeira partida da Liga dos Campeões daquela época contra a equipa eslovena NK Maribor, conseguiu marcar um golo na vitória por 4 a 0. A 24 de Novembro de 1999, ele marcou outro golo europeu, desta vez contra a equipa francesa Olympique Marselha.

Naquela época, ele jogou um total de 43 partidas na Copa da Itália, Série A e Liga dos Campeões, marcou quatro golos e deu mais quatro assistências aos companheiros.

 

  • 3. A jogar pelo Parma

    Na janela de transferências do Verão de 2000, Sergio Conceição ingressou no Parma. Jogou a sua primeira partida pelo Parma a 14 de Setembro de 2000, na primeira mão da primeira rodada da Copa da UEFA contra o Pobeda Prilep e marcou um golo. Marcou mais um golo na Copa da UEFA, na partida de 2ª mão da 3ª rodada contra a equipa Alemã TSV 1860 Munique.

    Estreou pelo Parma na Série A na primeira partida da época contra a ACF Fiorentina, onde deu uma assistência a Márcio Amoroso numa partida que terminou em 2 a 2. Entre 19 de Novembro de 2000 e 2 de Dezembro de 2000, Sergio Conceição marcou três golos consecutivos pelo Parma contra o Bologna FC 1909, a sua ex-equipa Lazio e Atalanta BC.

    Marcou mais dois golos consecutivos contra ACF Fiorentina e Brescia Calcio nas 18 e 19 rodadas da época da Série A. Durante a única época que passou no Parma, Sergio Conceição disputou um total de 36 partidas em todas as competições, marcou 7 golos e deu 4 assistências aos companheiros.

     

    4. A jogar pelo Inter de Milão

    Sérgio Conceição ingressou no gigante italiano Inter de Milão em 2001. A sua primeira partida na nova equipa aconteceu a 26 de Agosto de 2001, onde foi titular contra o AC Perugia Calcio, antes de sair aos 84 minutos. Venceram por 4 a 1. A 19 de Dezembro de 2001, deu a assistência ao brasileiro Ronaldo na vitória por 3 a 0 em casa sobre o Hellas Verona. Na ronda seguinte, deu mais uma assistência, desta vez para Christian Vieri, na vitória por 2 a 3 sobre o Piacenza Calcio 1919.

    O seu único golo na Serie A com a camisa da Inter de Milão aconteceu a 24 de Fevereiro de 2002, na vitória por 3 a 2 em casa contra a Udinese. Naquela época, Sérgio Conceição jogou 32 partidas pelo Inter de Milão, marcando um golo e a dar 2 assistências aos seus companheiros de equipa, todos na Série A.

    Na época seguinte, Sérgio Conceição teve algumas más atuações e apesar de jogar num total de 33 partidas na Série A, Liga dos Campeões e Copa da Itália, conseguiu marcar apenas um golo e dar duas assistências aos companheiros, assim como na época anterior.

     

    5. A jogar pelo Standard Liège

    Na janela de transferências do Verão de 2004, o já experiente extremo português decidiu seguir a carreira na Bélgica e ingressou no Standard Liège. Estreou-se pela nova equipa a 22 de em Agosto de 2004, quando entrou no lugar de Almami Moreira, no entanto, foi expulso pela sua conduta violenta 11 minutos depois.

    O seu primeiro golo pelo clube belga veio a 10 de Novembro de 2004, quando ele marcou o único golo da sua equipa na vitória por 1 a 0 em casa contra o rival RSC Anderlecht. O auge da sua passagem pelo Standard Liège foi entre 11 de Dezembro de 2004 e 15 de Janeiro de 2005, quando marcou um golo pela primeira vez no empate fora de casa contra o KAA Gent e depois marcou dois bis consecutivos contra KV Oostende e Lierse SK.

    Marcou mais quatro golos no final daquela época na liga, contra Beerschot AC, Club Brugge KV, KSK Beveren e o KAA Gent. Naquela época que provou ser a mais prolífica da sua carreira, Sérgio Conceição marcou um total de 11 golos em 34 partidas e também deu 7 assistências aos seus companheiros de equipa.

    A época seguinte foi menos produtiva para Sérgio Conceição, pois marcou apenas 7 golos e deu 3 assistências em um total de 29 partidas. Na sua última época no Standard Liège, o futebolista português marcou ainda menos golos e terminou a época com 4 golos e 10 assistências em 27 jogos com a formação belga.

     

  •  

    6. A jogar pelo Al Qadsia

    No Verão de 2007, Sérgio Conceição, de 33 anos, assinou com o clube kuwaitiano Al Qadsia por um salário de 1,1 milhão de euros por época. Depois de fazer 7 jogos no campeonato kuwaitiano e marcar 5 golos, após problemas para se estabelecer no país, Conceição decidiu rescindir o seu contrato e voltar para a Europa.

     

    7. A jogar pelo PAOK

    Sérgio Conceição mudou-se para o clube grego PAOK no intervalo de transferências de Inverno de 2008. Jogou a sua primeira partida pelo novo clube a 17 de Fevereiro, na vitória fora de casa por 0 a 2 contra o Apollon Pontou. Naquela época, jogou mais 6 partidas na Superliga grega, sem marcar ou dar assistências.

    A época seguinte começou da melhor maneira possível para ele, pois conseguiu marcar um golo na primeira partida do campeonato contra o OFI Creta. Entre 25 de Outubro e 8 de Novembro de 2008, deu três assistências consecutivas em três partidas contra APO Levadiakos, Iraklis Thessaloniki e Panionios Athens.

    Na época de 2000 a 2009, disputou um total de 31 partidas pelo PAOK, marcou 6 golos e deu 10 assistências aos seus companheiros na Super Liga, Kypello Elladas e no SL Play-off.

    Durante a sua última época no PAOK, jogou 9 partidas e não conseguiu marcar nenhum golo ou dar assistências. A 14 de Novembro de 2009, pendurou as chuteiras.

     

  • 8. Sérgio Conceição na seleção portuguesa

    Sérgio Conceição jogou sua primeira partida por Portugal selecção nacional sob o comando de Artur Jorge em Novembro de 1996, num jogo em que Portugal venceu a Ucrânia por 1 a 0. Desde então foi frequentemente convocado para jogos da seleção, no entanto nem sempre como titular. O ponto alto da sua carreira internacional foi no Euro 2000, disputado na Bélgica e na Holanda, onde marcou um “hat-trick” aos 35, 54 e 71 minutos da vitória de Portugal sobre a Alemanha.

    Durante as eliminatórias para a Copa do Mundo de 2002, Conceição marcou 4 golos, alguns deles decisivos. No entanto, na fase de grupos na Coreia do Sul, não conseguiu marcar golos e Portugal nem chegou aos oitavos-de-final.

    Após a Copa do Mundo, nunca mais foi convocado para a seleção. No total, jogou 56 partidas pelo seu país e marcou 12 golos. O primeiro foi contra a Irlanda do Norte, matando os sonhos da ex-seleção nacional de George Best de se classificar para a Copa do Mundo de 1998 na França. Só voltou a marcar na vitória por 7 a 0 sobre o Azerbaijão a caminho da Euro 2000, antes de um histórico hat-trick contra a Alemanha na ronda final.

    Naquela época, ele era apenas o sexto jogador a marcar três golos num único jogo no Campeonato Europeu. Na meia-final frente à França, uma repetição do épico de 1984 que Michel Platini marcou aos 119 minutos, Sérgio Conceição deu a assistência a Nuno Gomes para um remate de pé esquerdo que encantou toda a nação.

     

    9. Estilo de jogo

    Sérgio Conceição gosta de um 4-4-2 agressivo, compacto na defesa com linhas apertadas e agressivo nas transições. A compacidade vertical de sua equipa colocou a Juventus em crise na Liga dos Campeões.

    Os dois avançados são os primeiros a orquestrar a pressão contra os defesas centrais adversários, e um dos médios sobe para fechar a linha de passe para o lance rasteiro e as alas apertam. O Porto de Sérgio Conceição é o segundo em posse de bola e o primeiro em média de chutos por jogo na Primeira Liga. Apenas uma equipa concede menos do que isso.

    O FC Porto é uma equipa que não se coíbe de driblar, levando muitos homens por cima da linha de bola, como atesta a sua média de mais de 20 dribles por jogo. Ele exige muito dos seus alas, que ocupam mais posições centrais enquanto os laterais sobem para dar largura nas laterais, e dos meio-campos centrais que cobrem muito terreno nas duas fases.

    O futebol de Sérgio Conceição no Porto exige uma comunicação constante entre jogadores, jogadores enérgicos e versáteis em funções-chave e defesas que também podem iniciar a ação a partir de baixo. Essas qualidades se tornaram indispensáveis no futebol moderno a todos os níveis.

     

  •  

    10. O futuro de Sérgio Conceição

    Durante o seu tempo como jogador, foi um dos primeiros futebolistas da geração de ouro do futebol português, que jogou muitos anos em Itália, provando o seu talento.

    Hoje em dia é considerado um dos treinadores emergentes na Europa. As suas grandes conquistas no Porto fizeram dele um dos treinadores mais procurados da atualidade.

    Como um treinador de futebol muito jovem, Sérgio Conceição está atualmente totalmente focado na sua carreira no futebol e não está envolvido em nenhum outro negócio além do futebol até ao momento. Também passa tempo com a sua família quando não está ocupado com o futebol.



    Mais: | Por: Rita Ferraz