10 curiosidades sobre Diego Rivera

1. O seu nome é longo

Embora o conheçamos como Diego Rivera, o seu nome completo é incrivelmente longo. Imagine tentar escrever Diego Maria de la Concepcion Juan Nepomuceno Estanislao de Rivero e Barrientos Acosta e Rodriguez nos seus testes da escola.

 

2. O seu talento foi notório numa idade precoce

Rivera começou a desenhar aos três anos e costumava desenhar nas paredes e nos móveis da sua casa. Os seus pais ficaram tão frustrados com os seus rabiscos que colocaram telas e quadros-negros nas paredes.

 

3. Frida Kahlo foi uma das suas quatro esposas

Ele pode ter se casado com Frida Kahlo, no entanto ela era a sua terceira esposa em quatro. Rivera e Kahlo casaram-se em 1929, se divorciaram em 1940, no entanto casaram-se novamente em 1941. Depois que Kahlo morreu em 1954, Rivera casou-se com a sua agente Emma Hurtado. Ele também era famoso por ter várias relações extraconjugais.

 

4. Os seus casamentos foram tempestuosos

Rivera teve relacionamentos com muitas mulheres durante a sua vida, e Kahlo também era conhecida por ter casos com homens e mulheres. Isso causou séria tensão no seu casamento, especialmente quando Rivera teve um caso com Cristina Kahlo, a irmã mais nova de Frida.

 

5. Foi o fundador da Mexicanidad

Os especialistas atribuem a Rivera o fundador do estilo de arte conhecido como “Mexicanidad”, que se concentra na cultura mexicana. Uma das suas principais características é o achatamento de objetos tridimensionais em duas dimensões. Mais tarde, tornou-se um movimento que incluiu outros artistas mexicanos famosos, como Orozco, Kahlo e Siqueiros.

 

  •  

    6. Era um ateu declarado

    Rivera não hesitou em acreditar que “as religiões são uma forma de neurose coletiva”. Uma das suas obras, “Sonhos de um domingo na Alameda”, foi proibida durante nove anos porque mostrava um escritor a segurar uma placa que dizia “Deus não existe”. Embora ele possa ter removido a inscrição para que a obra pudesse ser exibida, Rivera manteve o seu próprio compromisso público com o ateísmo.

     

    7. Era comunista

    Outrora membro do Partido Comunista Mexicano, a política de Rivera era firmemente de esquerda. Usou a sua arte para discutir temas como desigualdade económica e recusou-se a curvar-se para clientes ricos que não concordavam com os seus pontos de vista. Num episódio famoso, o Rockefeller Center contratou Rivera para fazer um mural.

    Produziu uma obra chamada “Man at the Crossroads”, que mostrava Lenin a liderar um protesto. Aparentemente indignado com a visão, o Rockefeller Center viu a obra destruída.

     

    8. Hospedou o exilado Leon Trotsky

    Durante o seu segundo casamento com Frida Kahlo, de 1940 em diante, Rivera recebeu Leon Trotsky na sua casa depois que o revolucionário marxista foi exilado da União Soviética. Mais tarde, Trotsky foi assassinado na Cidade do México por um agente soviético usando um palito de gelo.

     

    9. Era uma celebridade mexicana

    Poucos artistas entram no mainstream da maneira como Rivera fez no México na sua época. Ele tornou-se extremamente popular e a sua fama também foi impulsionada por suas opiniões francas. Ele era muito mais popular no México do que Frida Kahlo em vida.

     

  •  

    10. Era um homem grande, literal e no sentido figurado

    Rivera era conhecido por fazer piadas sobre seu o próprio físico impressionante e pesava 150 quilos na balança. Acabou por morrer de insuficiência cardíaca em 1957, após um período de um tratamento para o cancro.



    Mais: , , | Por: Rita Ferraz