10 curiosidades sobre Claude Monet

Oscar-Claude Monet é amado pela sua série de pinturas a óleo que representam nenúfares, jardins serenos e passarelas japonesas. O pintor francês manipulou luz e sombra para retratar paisagens de uma maneira inovadora, revertendo a cena da arte tradicional no final do século XIX. Em homenagem ao seu aniversário, aqui estão 10 curiosidades que você talvez não saiba sobre o pai do impressionismo francês.

  • Gearbest $39.99 for Lenovo E1 1.33-inch TFT Screen Sports Smartwatch Global Version promotion
  •  

    1. O seu talento artístico revelou-se logo em tenra idade

    Nascido em Paris em 1840, Monet começou a desenhar muito jovem, os seus professores e vizinhos. Frequentou uma escola de artes e, ainda criança, vendia as suas caricaturas de figuras locais. Claude Monet também aprendeu sobre pintura a óleo e pintura ao ar livre, que mais tarde se tornou uma marca registada do seu estilo. A mãe de Monet incentivou o seu talento artístico, mas o seu pai, dono de uma mercearia, queria que ele se concentrasse nos negócios da mercearia. Depois que a sua mãe morreu em 1857, Monet saiu de casa para ir morar com a sua tia e, contra a vontade do seu pai, estudar arte.

     

    2. Claude Monet serviu como soldado na Argélia

    Em 1861, Monet foi convocado para o exército. Forçado a ingressar no Primeiro Regimento da Cavalaria Leve Africana, deixou Paris para a Argélia, um território que era então controlado pela França. O pai de Monet ofereceu-se o libertar da guerra do filho se ele prometesse desistir da pintura, mas Monet recusou-se a abandonar a arte. Depois de cumprir um ano do seu compromisso militar de sete anos, Monet ficou doente com febre tifoide. A sua tia pagou para libertá-lo do exército e ela matriculou-o na escola de arte de Paris.

     

    3. Frustrado com a vida, saltou para o rio Sena

    Aos 20 anos, Monet estava frustrado com a Académie, a escola de arte da França. Odiava criar obras de arte de fórmula, copiar a arte pendurada no Louvre e pintar cenas dos antigos mitos gregos e romanos. Embora ele tentasse colocar as suas pinturas nas exposições de arte da Académie, a sua arte era quase sempre rejeitada. Deprimido e a lutar para se sustentar a si e à sua família financeiramente, Monet saltou de uma ponte em 1868. Sobreviveu à queda no Sena e começou a passar tempo com outros artistas que também se sentiam frustrados com as restrições da Académie.

     

    4. Renoir criou um pintura dele

    Em 1873, Monet passava o verão numa casa alugada em Argenteuil, um subúrbio de Paris. O seu amigo Pierre-Auguste Renoir visitou Monet para passarem um tempo juntos e pintar ao ar livre. Os dois homens uniram-se pela sua antipatia mútua pelo estilo tradicional da academia. Durante a sua visita, Renoir pintou a pintura de Monet no seu jardim, criando uma pintura dentro de uma pintura. A pintura, diretamente denominada Monet Painting no seu jardim em Argenteuil, mostra Monet parado do lado de fora enquanto pinta flores.

     

    5. Ajudou indiretamente a cunhar o termo de “impressionismo”

    Monet criou uma comunidade com outros artistas frustrados, um grupo que incluía Renoir, Camille Pissarro, Edgar Degas e Paul Cézanne. O grupo, que se autodenominava de Sociedade Anónima de Pintores, Escultores, etc., organizou uma exposição em 1874. A exposição incluía obras de arte inovadoras, com cores vivas e fortes e pinceladas soltas e aparentemente espontâneas. Depois que um crítico comparou uma das pinturas de Monet – “Impressão, nascer do sol”, com um esboço inacabado (ou “impressão”), o termo “impressionistas” passou a descrever os artistas que exibiram essas pinturas radicalmente diferentes.

     

  •  

    6. A sua segunda esposa era irracionalmente ciumenta em relação à sua primeira esposa

    Monet pintou frequentemente a sua primeira esposa, Camille Doncieux, que trabalhava como modelo e mantinha um relacionamento com o artista desde meados da década de 1860 (casaram-se em 1870). O casal teve dois filhos, mas Camille morreu, talvez de cancro uterino, em 1879. Alice Hoschedé, a esposa de um empresário e colecionador de arte, morava com os Monets depois que o marido faliu, e Monet começou um caso com enquanto Camille ainda estava viva. Após a morte de Camille, Hoschedé destruiu de forma ciumenta todas as suas cartas e fotografias. Apesar disso, Hoschedé (junto com os seus seis filhos) morava com Monet e os seus dois filhos, o casal casou-se em 1892 após a morte do marido de Hoschedé. (Uma das filhas de Hoschedé mais tarde casou-se com um dos filhos de Monet, então os meio-irmãos tornaram-se marido e mulher.)

     

    7. Importou os seus lírios de água do mundo inteiro

    De 1883 até à sua morte em 1926, Monet viveu em Giverny, uma vila no norte da França. Ao longo dos anos, contratou jardineiros para plantar papoilas a macieiras no seu jardim, transformando-o num lugar bonito e tranquilo para ele pintar. Finalmente rico com as vendas de suas pinturas, Monet investiu muito dinheiro em seu jardim. Colocou uma passarela japonesa no seu lago, que pintou e importou nenúfares do Egito e da América do Sul. Embora o conselho da cidade local tenha dito para ele tirar as plantas estrangeiras para que não envenenassem a água, Monet não ouviu. Nos últimos 25 anos da sua vida, pintou os nenúfares numa série de pinturas que mostravam as plantas com luz e texturas variadas.

     

    8. Pagou a um jardineiro para limpar os seus lírios de água

    Quando o jardim de Monet expandiu-se, contratou seis funcionários num período integral para cuidar dele. O trabalho de um jardineiro era remar um barco no lago todas as manhãs, lavando e polvilhando cada lírio. Depois que os lírios estavam limpos, Monet começou a pintá-los, e tentar capturar o que via enquanto a luz refletia na água.

     

    9. Os seus críticos gozavam com os seus problemas de visão

    Por volta de 1908, quando tinha 60 e poucos anos, Monet começou a ter problemas com a sua visão. Diagnosticado com cataratas em 1912, mais tarde descreveu a sua incapacidade de ver todo o espectro de cores: “Os vermelhos pareciam enlameados para mim, rosa insípidos, e os tons intermediários ou inferiores escaparam-me”. Quando ficou quase cego em 1922, continuou a pintar, memorizando os locais de diferentes cores de tinta na sua paleta. Monet atrasou a cirurgia arriscada às cataratas até 1923, e os críticos gozam com ele pelas suas pinturas borradas, sugerindo que o seu estilo impressionista devia-se mais à sua falta de visão do que ao seu brilho artístico. Após duas cirurgias às cataratas, Monet usava óculos escuros para corrigir a sua percepção distorcida das cores e pode ter conseguido ver a luz ultravioleta.

     

  •  

    10. Em 2015, o mundo descobre um novo pastel de Monet

    Em 2015, um negociante de arte em Londres descobriu um pastel de Monet desconhecido que estava escondido atrás de outro desenho de Monet que ele tinha comprado num leilão de 2014 em Paris. O pastel mostra o farol e o cais em Le Havre, o porto da França onde Monet viveu quando criança. Estudiosos de arte autenticaram o pastel como uma autêntica obra de arte de Monet e dataram de 1868, na época em que ele saltou para o Sena.



    Mais: , , , | Por: Sandra Melo