10 curiosidades sobre a Space X

A empresa privada de voos espaciais SpaceX é a primeira empresa a construir e a lançar as seus próprios foguetes e cápsulas espaciais para a Estação Espacial Internacional e devolvê-los à Terra.

  • As cápsulas espaciais não tripuladas Dragon da SpaceX são lançadas nos foguetes Falcon 9 da empresa e voaram pela primeira vez para a Estação Espacial Internacional em 2012. A empresa de Hawthorne, na Califórnia, está a planear atualizar as cápsulas Dragon para lançar sete pessoas em órbita nos próximos anos, no entanto existem muitos mais projetos para SpaceX do que aparenta.

     

    1. Origem do Nome

    O bilionário CEO da SpaceX, Elon Musk, afirmou que batizou a sua nave espacial de “Dragon” em homenagem ao fictício “Puff the Magic Dragon”, do hit do grupo musical Peter, Paul e Mary. Musk também afirmou que usou o nome porque muitos críticos consideraram os seus objetivos impossíveis quando fundou a SpaceX em 2002.

    Em 2013, a empresa celebrou seu o 10º aniversário e garantiu um acordo de 1,6 bilião com a NASA para fornecer 12 voos de carga não tripulados para a Estação Espacial Internacional. Outra empresa, a Orbital Sciences Corp., da Virgínia, também tem contrato com a agência para fornecer voos de abastecimento para o laboratório orbital.

     

    2. O queijo espacial

    No primeiro vôo de teste da cápsula Dragon em Dezembro de 2010, carregou uma roda de queijo em órbita. Antes da descolagem bem-sucedida, os oficiais da SpaceX sugeriram que o Dragon estava a carregar carga especial para o espaço, no entanto a empresa não revelou a carga secreta até depois que a nave espacial voltou da órbita e caiu no Oceano Pacífico.

    A roda do queijo foi lançada em homenagem a um celebre episódio de comédia do ator John Cleese na comédia britânica Monty Python’s Flying Circus.

    “É meio engraçado”, afirmou Musk aos repórteres após o lançamento bem-sucedido em 2010. “Se você gosta de Monty Python, vai adorar o segredo.”

    O queijo rodou dentro da cápsula do Dragon durante todo o vôo, desde o lançamento na Flórida até ao respingo no Oceano Pacífico, 804 quilómetros a oeste do México. Após a missão, a SpaceX ter divulgado as fotografias da célebre roda de queijo, mostrando-a dentro de um cilindro de metal com uma tampa presa por parafusos.

     

    3. A ascensão do Falcão

    A frota de foguetes Falcon da SpaceX, os boosters Falcon 9 e foguetes Falcon 1 menores, receberam o nome da nave espacial fictícia Millenium Falcon dos filmes “Star Wars” do criador George Lucas. Nos clássicos da ficção científica, a icónica nave espacial Millenium Falcon que é comandada pelos personagens Han Solo e Chewbacca.

     

    4. O verdadeiro Homem de Ferro ao comando

    Parte do filme de super-herói live-action “Homem de Ferro 2” foi filmado na fábrica da SpaceX em Hawthorne, Califórnia, e o CEO Elon Musk até enfeitou a tela prateada com uma participação especial como ele mesmo. Num perfil do pioneiro do vôo espacial comercial escrito para a revista TIME, o realizador do “Homem de Ferro 2” Jon Favreau afirmou que Musk inspirou a interpretação do personagem Tony Stark, o ator Robert Downey Jr., o génio bilionário por trás do famoso super-herói da Marvel Comics.

    Musk, que fundou a SpaceX em 2002, que também é o CEO da Tesla Motors e fez a sua fortuna inicial ao fundar o sistema de pagamento online PayPal. O empresário também desenvolveu uma personalidade grandiosa, com admiradores chamando-o de Tony Stark da vida real.

    “Isto é muito surreal”, Musk afirmou recentemente ao SPACE.com. “Acho que estamos a fazer foguetes gigantes. Não tenho uma armadura, no entanto. Não vôo por aí com uma armadura.”

     

    5. Por que os foguetes ainda estão sujeitos a falhas, apesar das décadas de produção?

    A melhor pergunta poderia ser por que eles voam. Pense num foguete como um ovo ou, mais especificamente, uma casca de ovo. Pense no combustível como a clara e a gema. O Saturn V, o maior foguete já construído, pesava 30.00000 quilos. no lançamento, e 5,5 milhões desse peso era combustível. Isso é basicamente uma bomba, projetada para realizar uma explosão controlada. As forças em jogo quando um foguete é aceso, em termos de química, física, velocidade e resistência do ar, podem ser colossalmente destrutivas.

    Só apenas os controlando com tolerâncias extremamente estreitas que qualquer lançamento é bem-sucedido. Acredita-se que a explosão da SpaceX em Junho tenha sido causada por um suporte defeituoso no segundo estágio do foguete, que permitiu que um recipiente de alta pressão de hélio se soltasse, enviando-o para um tanque próximo de oxigénio líquido.

    A empresa descreveu o resultado como um “evento de sobre pressão”, o que basicamente significa que tudo explodiu. É verdade que essas coisas acontecem inevitavelmente no jogo espacial. No entanto é também verdade que ninguém consegue permanecer neste jogo se não puder minimizar estes riscos.

     

  •  

    6. A Nova Corrida ao Espaço

    Em 2010, a SpaceX tornou-se a primeira empresa a lançar em órbita uma nave espacial construída de forma privada e a devolvê-la em segurança à Terra. A empresa agora pretende tornar-se a primeira a acoplar uma cápsula espacial comercial à Estação Espacial Internacional. Ainda assim, Musk tem objetivos ainda mais elevados: a ser o primeiro empresário a colocar um astronauta em órbita.

    A empresa pretende usar uma versão da cápsula do dragão robótico para um dia transportar astronautas para o posto avançado em órbita e outros destinos na órbita baixa da Terra.

    Musk também falou abertamente sobre a necessidade de os humanos se tornarem uma espécie de vários planetas para sobreviver. Eventualmente, ele planeia modificar a nave espacial Dragon para um dia pousar na superfície de Marte.

     

    View this post on Instagram

    A post shared by SpaceflightEveryday (@spaceflighteveryday)

    7. A SpaceX fez o que outras empresas não fizeram

    A SpaceX obteve a sua primeira grande manchete em 2010, quando se tornou a primeira empresa privada a lançar uma carga útil em órbita e devolvê-la à Terra intacta, algo que apenas agências governamentais como a NASA ou a Roscosmos da Rússia tinham feito antes.

    O seu pouso em pé e a recuperação do primeiro estágio do foguete Falcon 9 a 21 de Dezembro de 2015 foi outra inovação. A Blue Origin, de propriedade do fundador da Amazon Jeff Bezos, enviou um foguete até à borda do espaço e pousou na posição vertical no início deste ano, mas foi um voo de demonstração e não atingiu a órbita.

     

    View this post on Instagram

    A post shared by NEXT LEVEL GAMING🎮🔥 (@nextlevelgamingstore)

    8. Onde está o controlo da missão da SpaceX?

    Na sede da SpaceX em Hawthorne, Califórnia. Você conhece aquela área próxima à cozinha onde as pessoas se reúnem para conversar e evitarem voltar para as suas mesas de trabalho? Na SpaceX, eles usam esse mesmo lugar para lançar foguetes. A instalação da SpaceX é uma ampla planta industrial de um andar que era originalmente uma fábrica para a fuselagem de aeronaves Boeing.

    A SpaceX assumiu o controlo e transformou-a num espaçoporto tudo-em-um. Milhares de metros quadrados são dedicados a cubículos, quase ninguém na SpaceX, incluindo Musk, tem um escritório com portas. Adjacente a isso fica no chão da fábrica a cozinha. Ao lado dele, atrás de uma alta parede de vidro, está o controlo da missão. Os trabalhadores reúnem-se para assistir aos lançamentos e recuperações, de seguida, voltam para os seus postos, computadores ou mesas. Assim Silicon Valley ficou muito melhor.

     

    View this post on Instagram

    A post shared by KindaViral (@kinda.viral)

    9. A SpaceX é lucrativa?

    É difícil afirmar, já que a empresa é privada, o que significa que os seus livros financeiros não estão abertos para inspeção. A crença da maioria dos analistas, no entanto, é que a SpaceX deve, agora, estar a ganhar dinheiro. Ela tem 4,2 biliões de dólares americanos em contratos só com a NASA e o seu recente sucesso em separar o negócio de contratos de defesa, separar o monopólio que a United Launch Alliance desfrutava com os militares significa mais receita.

    Tudo isto além dos seus contratos para lançamentos de satélites privados, totalizando 60 lançamentos no seu manifesto, no valor de cerca de 7 biliões. Isso é muito para uma empresa cujo principal argumento de venda é que ela pode lançar satélites a um terço do custo que as empresas mais antigas fazem, libertando muito espaço de limite para os lucros. Existe muita especulação sobre quando e se Musk se tornará público e paira muita esperança em Wall Street para que isso aconteça. O representante da SpaceX é parcialmente chiado, sim, e não existe garantia de que será um grande ganhador de dinheiro a longo prazo.

     

  •  

    10. O dragão que cospe fogo

    Aqui temos uma imagem da cápsula Dragon da SpaceX que “respira fogo” com os seus 18 propulsores Draco que ajudam a nave espacial a manobrar em órbita e a manter o controlo de atitude.



    Mais: , | Por: Sandra Melo