10 alimentos que fazem mal ao seu corpo e saúde

1. Refrigerantes

Cores artificiais, gasificados e açúcares falsos que aumentam consideravelmente a sua cintura o que têm em comum? São os ingredientes em todas as suas bebidas gaseificadas favoritas. Quase todos os refrigerantes dietéticos populares contêm aspartame, um adoçante artificial que foi inicialmente desenvolvido para ajudar na perda de peso, no entanto recentemente descobriu-se que tem o efeito oposto, elevando os níveis de glicose, sobrecarregando o fígado e fazendo com que o excesso se converta em gordura.

 

2. Cereais com açúcar

Cerreais com muito açúcar. O açúcar causa muitos estragos no corpo. Consumir muito do material branco pode levar à obesidade, que muitas vezes causa outros problemas de saúde, como diabetes e doenças cardíacas. Muitos dos cereais que comemos ao pequeno-almoço contêm mais açúcar numa tigela do que você pode por exemplo encontrar num Donut.

Para piorar a situação, muitas variedades populares como os cereais de marca branca ou focados para os mais pequenos, entre outros também são misturadas com hidroxitolueno butilado (BHT) ou BHA (hidroxianisol butilado), ingredientes que são proibidos no Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia, Japão e grande parte da Europa porque eles são considerados cancerígenos.

 

3. Sobremesas em restaurantes

Aqui você pensou que vamos voltar a falar açúcar, calorias, gordura, ou qualquer outra coisa. Embora tudo isso seja verdade, as sobremesas de restaurantes podem ser perigosas porque as porções geralmente são grandes, é o teor de sódio que muitas pessoas nem pensam. Aquela sobremesa de aparência inocente da mousse de chocolate que você vê na fotografia acima tem 1.110 calorias, 73 gramas de gordura, 640 miligramas de sódio, 103 gramas de carboidratos e 64 gramas de açúcar.

 

4. Gelados

Quando você está a desejar por composto de leite cremoso, os fabricantes recorrem ao laboratório de química para compensar a falta de sabor e textura. Utilizam um aditivo, polissorbato 80 (P80), o que ajuda a dar ao gelado a sua textura cremosa viciante e também uma longa vida útil, pois, no entanto prejudica a sua saúde. Pesquisadores da Georgia State University já observaram o emulsificante com inflamação de baixo grau no intestino. Sendo que não é um bom sinal.

 

5. Gomas e doces do género

Você já sabia que todas as gorduras que obstruem as artérias e açúcares viciantes encontrados nos doces não estão a fazer-lhe nenhum a si ou há sua família, contudo provavelmente não percebeu que certos doces podem dificultar a concentração dos seus pequenos. Há alguns anos, pesquisadores descobriram que as cores artificiais, Amarelo nº 5 e Amarelo nº 6 (encontrados em alguns chocolates por exemplo), promovem o Transtorno de Déficit de Atenção (DDA) em crianças, de acordo com um estudo publicado na revista The Lancet. De facto, na Noruega e na Suécia já proibiram o uso desses corantes artificiais e, no resto da União Europeia, os alimentos que contêm esses aditivos devem ser rotulados com a frase: “Pode ter um efeito adverso na atividade e na atenção das crianças”.

 

  •  

    6. Batatas fritas

    Infelizmente não conseguimos comer apenas uma. No entanto se for forte mentalmente pode parar aí? Boa sorte se você estiver a comer a variedade de sal e vinagre. As batatas fritas de sal e vinagre fornecem 500 miligramas de sódio e cerca de 1/4 colher de chá de sal, sendo que é cerca de um terço do total de miligramas de sódio que a American Heart Association afirma que o adulto médio deve consumir num dia. Um estudo do New England Journal of Medicine descobriu que as batatas fritas adicionavam mais peso ao corpo dos consumidores do que bebidas açucaradas, carnes processadas, carnes vermelhas e outros alimentos. Portanto, fique longe dessas batatas fritas mais insalubres do planeta.

     

    7. Frango frito

    O frango é considerado uma alternativa mais saudável às carnes vermelhas porque tem menos gordura saturada do que a carne bovina e é uma ótima fonte de proteína. No entanto cubra-o com farinha e frite-o num banho escaldante de óleo quente, e você acabou de transformar uma proteína nutritiva numa das refeições mais insalubres.

    Quando você frita o frango em óleo, o alimento absorve muita gordura, o que aumenta o teor calórico da refeição. Pior ainda, fritar alimentos em alta temperatura em óleos vegetais (como óleo de canola e milho) ou óleos de sementes (como sésamo ou girassol) formam gorduras transformadas, que estão associadas ao aumento do risco de doenças cardíacas, cancro e obesidade, de acordo com o Journal de Ciência e Tecnologia de Alimentos. As gorduras saturadas do frango com pele também aumentam o colesterol LDL (mau), o que contribui para a formação de placas nas artérias, aumentando o risco de doenças cardíacas e derrames.

     

    8. Carnes processadas

    As carnes processadas curadas contêm um conservante chamado nitrato de sódio, que pode desencadear inflamação crónica nas artérias, levando à aterosclerose, o estreitamento das artérias.

     

    9. Margarina

    Consumir uma tablete de margarina aumenta o risco de doença cardíaca coronária porque contém gorduras transformadas. Quanto mais sólida a margarina, mais gorduras transformadas, de acordo com um estudo da Epidemiology. A manteiga é muitas vezes uma escolha melhor para a sua torrada. Uma revisão de 2016 no PLOS One encontrou muito poucas ligações entre o consumo de manteiga e doenças cardíacas.

     

  •  

    10. Cachorros-quentes

    Em primeiro lugar, do que é feita essa carne misteriosa meio castanha ou rosada? De acordo com o Conselho Nacional de Cachorros-quentes e Salsichas, os cachorros-quentes são feitos a partir das aparas de melhores cortes de carne bovina que compõem a carne moída, bifes, entre outros, misturados com nitratos para ajudar as proteínas da carne a unirem-se melhor. Semelhante à maioria dos outros alimentos encontrados neste artigo, os cachorros-quentes são ricos em gorduras saturadas e sódio e muitos contêm nitratos, um conservante associado ao cancro, de acordo com o Instituto Nacional do Cancro.



    Mais: , | Por: Rita Ferraz