Tim Berners-Lee endossa a Declaração de Direitos da Internet de Ro Khanna – aqui estão todos os 10

O representante de Silicon Valley, Ro Khanna, tem trabalhado com, grandes empresas de tecnologia e profissionais de tecnologia e informação do governo para criar uma lista de princípios no sentido de proteger a privacidade dos dados dos americanos. Ele deve tê-lo feito bem, porque a lista foi endossada por Sir Tim Berners-Lee, inventor da World Wide Web (Internet).

“Esta declaração de direitos fornece um conjunto de princípios que visam dar aos utilizadores mais controlo sobre as suas vidas online enquanto criam uma economia da Internet mais saudável”, disse Berners-Lee.

Sob os princípios, os americanos devem ter o direito:

1. Ter acesso e conhecimento de toda a coleta e uso de dados pessoais pelas empresas;

2. Optar pelo consentimento para a coleta de dados pessoais por qualquer parte e para a partilha de dados pessoais com terceiros;

3. Onde o contexto apropriado e com um processo justo, para obter, corrigir ou excluir dados pessoais controlados por qualquer empresa e para ter esses pedidos honrados por terceiros;

4. Para ter dados pessoais protegidos e para ser notificado em tempo hábil quando uma violação de segurança ou acesso não autorizado de dados pessoais é descoberto;

5. Para mover todos os dados pessoais de uma rede para a próxima;

6. Para acessar e usar a Internet sem que provedores de serviços de Internet bloqueiem, limitem, estabeleçam prioridades pagas ou favoreçam de maneira injusta conteúdo, aplicações, serviços ou dispositivos;

7. Ter um serviço de Internet sem a coleta de dados desnecessários para fornecer o consentimento ausente do serviço solicitado;

8. Ter acesso a múltiplas plataformas, serviços e provedores de Internet viáveis ​​e acessíveis, com preços claros e transparentes;

9. Não ser injustamente discriminado ou explorado com base nos seus dados pessoais;

10. Para que uma entidade que coleta os seus dados pessoais tenha práticas comerciais e responsabilidade razoáveis ​​para proteger a sua privacidade.

 

 

Os princípios ganharam vida quando a senadora da Califórnia, Nancy Pelosi, pediu à Khanna para montá-los. Transformar os princípios em algo com o poder da lei poderia ser uma dura batalha política, dada a atual mania desregulamentadora da maioria republicana, mas com as eleições a meio do mandato chegando, ao campo de batalha poderia parecer muito diferente a 7 de Novembro.

Mais cedo ou mais tarde, a Big Tech terá que mostrar que o seu suporte à regulamentação da privacidade de dados é mais do que um serviço de boca a boca.

“Esta é uma luta de 15 anos, mas eu não acho que a tecnologia esteja imediatamente preparada contra ela e o Congresso está mais disposto a ser forte na regulamentação”, disse Khanna à Kara Swisher do New York Times.

Independentemente disso, Khanna ganha pontos pelos seus esforços até agora e pela sua visão de Silicon Valley: “A tecnologia é amoral, é grande em muitos aspectos, mas não tão grande em outros”, disse o congressista, “e eles precisam gastar agora nos próximos 10 anos a pensar em como eles moldam essa tecnologia para o bem público”.



Mais: , , | Por: João Baganha