10 tecnologias que vamos seguir em 2018

alexa, amazon

1. Mordomos virtuais

Há quem diga que o ano de 2018 é o ano dos mordomos virtuais. Possivelmente sim. Já ouviu falar a Siri (Apple), ou Alexa (Amazon) ou Cortana (Microsoft)?

Os mordomos são aplicações virtuais, que nos deixam de depender de toques em teclas o mexer em interruptores para vermos uma ação executada. Funcionam por comandos da nossa voz, e devidamente configurados podem realmente fazer muitas tarefas para nós. Funcionam em computadores, smartphones, carros, casas inteligentes, entre outros equipamentos.

Vamos ver um vídeo para ver melhor como estes mordomos funcionam:

 

2. Criptomoedas ou e-coins

Já detalhamos um pouco aqui no melhorde10 sobre o que é a criptomoeda, ou sobre o conceito de blockchain. Mas a verdade é que as transações de financeiras com este tipo de moeda cada vez são mais frequentes. Assim como o dólar, euro ou o Renminbi, cada vez ouvimos falar mais em bitcoin, ethereum ou ripple. Agora é só uma questão de tempo para as utilizarmos de forma tão banal como utilizamos o mastercard, visa, ou o american express.

 

3. Automóveis sem condutor

Até agora muitos nós crescemos com a ideia de chegar à idade adulta para podermos tirar a carta para poder conduzir um automóvel. Esse sonho terminou neste novo milénio e tudo isto porque cada vez mais as marcas de automóveis estão a apostar no conceito de carro sem condutor.

Ao invés do tradicional volante, pedais e mudanças, vamos ter um computador interno, sensores e câmaras para a condução automática de automóveis.

 

4. Interfaces neurais

As primeiras investigações neste campo tiveram início na década de 70, na Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). As suas primeiras concessões tiveram o apoio da Fundação Nacional da Ciência.

Estas interfaces são conhecidas pela ligação do cérebro a um chip, uma simbiose entre a mente e o computador. É conhecida por vários acrónimos em inglês como: ICC, BCI, IMM, IND e ITS ate o momento. A interface telepática sintética ou interface cérebro máquina é um com caminho direto entre o cérebro e um dispositivo externo. Nos dias de hoje são utilizadas para investigar, auxiliar, aumentar a cognição humana ou para funções senso-motoras. Já assistimos a este tipo de tecnologia no cinema por exemplo como o caso do Ghost in the Shell ou o Matrix. Também já podemos ver uso real deste tipo de tecnologia que foi por exemplo o caso de Stephen Hawking em que neste caso usou um processador da AMD para poder falar através do computador.

 

5. Segurança e proteção de dados

Nos dias de hoje cada vez ouvimos falar em “ciberataques” tanto a organizações, empresas públicas e até mesmo a pessoas singulares. Podemos dar vários exemplos como atores e atrizes ao qual os seus smartphones sofreram “ciberataques” com o intuito de roubar informações pessoais como fotografias e as colocarem na Internet. Ao nível de organizações o caso do Facebook em que foi roubada informação de cerca de 50 milhões de utilizadores. No que diz respeito a governos, existe a teoria de que os Russos “entraram” nas máquinas de voto para a eleição de Trump.

Já Edward Snowden tem vindo a alertar para este tipo de situação há cerca de 10 anos. Snowden aconselha todos os utilizadores da Internet a terem muito cuidado com os seus dados e vida pessoal e a forma como se expõe na Internet.

Devido a todos estes acontecimentos cada vez mais presentes a União Europeia deu início ao Regulamento sobre a Proteção de Dados (RGPD). Este regulamento é uma das maiores alterações de sempre relativamente à forma como deve ser realizado o tratamento de dados pessoais.

 

 

6. Carregamento de energia sem fios

Já é uma realidade presente, pois para alguns produtos como smartphones e smartwatches já é possível serem carregados sem fios. Agora é a vez de produtos como máquinas de barbear, aspiradores, máquinas de café darem este passo.

 

7. Realidade aumentada

O conceito de realidade aumentada já surgiu há uns anos, contudo só agora começa a chegar ao consumidor produtos com qualidade e a preços acessíveis.

Em que consiste a realidade aumentada?

A realidade aumentada é a perceção dimensional de um objeto ou produto no mundo real. Por exemplo, todos nós assistimos há febre do Pokemon Go. Pode-se se dizer que esse foi dos primeiros “booms” deste conceito. Como pano de fundo vemos um jardim por exemplo, e no centro um Pokemon em podemos interagir com ele de forma virtual.

A realidade aumentada vai ter grande potencial para podermos ver um corte de cabelo em nós próprios antes de o fazermos, vermos uma casa antes de estar pronta, vermos o interior de um carro sem termos de o abrir entre outros.

 

Vamos ver este vídeo para ver melhor como funciona a realidade aumentada:

 

8. Redes 5G

Com a Internet das coisas aí à porta, isto significa que qualquer equipamento vai aceder há Internet. Desde automóveis, frigoríficos, micro-ondas, entre outros. Isto vai criar a necessidade de dar resposta ao nível de infraestruturas de comunicação. O ano de 2018 deverá trazer já tecnologias de quinta geração ao mercado, mesmo que estas só se tornem padrão nos operadores em 2020. Já foram registadas mais de 70 mil patentes para lançar produtos 5G este ano.

 

9. Modificação do genoma humano

Já foi comprovado que é possível corrigir falhas no ADN de embriões humanos produzidos por fertilizações in vitro, de forma a impedir a transmissão de doenças genéticas hereditárias.

O investimento nesta área cada vez é maior e para além dos cuidados de saúde, já abrange a indústria e os alimentos.

 

 

10. Redes neurais e inteligência artificial

Cada vez ouvimos falar mais no termo Machine Learning. Isto significa que as máquinas podem aprender através do reconhecimento de padrões e evoluir. O conceito de redes neurais foca-se no método de como a máquina aprende, neste caso com base nas representações de dados e reconhecimento de padrões.



Mais: , , | Por: João Baganha