10 interessantes livros para oferecer este natal

Livros

Para colocar a leitura em dia o melhor de 10 sugere uma lista de 10 interessantes livros que pode oferecer no natal ou mesmo em qualquer outra altura do ano, porque as prendas são quando se pode ou se acha que deve dar. De qualquer modo tendo em conta a época que tem como tradição a oferta de presentes, eis aqui uma dica para ofertas de livros.

 

1. Pastoralia – George Saunders

PASTORALIA

Conjunto de seis contos publicados originalmente no New Yorker e que retratam de modo satírico um mundo distópico que já se concretizou e pautado por diversas personagens com vidas absurdas e humilhantes em busca de redenção. Considerado um dos livros mais cómicos americanos, segundo afirmações de autores de renome como Thomas Pynchon “Uma voz espantosamente afinada: graciosa, sombria, genuína e divertida.» e Zadie Smith «Desde Twain que a América não produzia um autor satírico com tanta graça.»

2. Políticas da Inimizade – Achille Mbembe

POLITICAS DA INIMIZADE

Neste livro, Achille Mbembe, Filósofo Camaronês, que tem desenvolvido grande parte do seu trabalho em volta da história e política de África, escreve sobre a hostilidade do ser humano e as formas que a mesma tem assumido na sociedade contemporânea. Tendo como referência o trabalho de Frantz Pannon, analisa os vectores desta violência planetária, manifestada através da ressurgência de nacionalismos atávicos, na guerra contra o terrorismo, sacramento da nossa época, e num racismo de Estado que, «em nome« da defesa da civilização, suprime réstias de democracia e suspende os direitos dos cidadãos.

 

3. Civilização do Espectáculo

A Civilização do Espectáculo - Mario Vargas Llosa

Este ensaio escritor pelo Prémio Nobel da Literatura de 2010, Mario Vargas Llosa, define-se como uma forte radiografia do nosso tempo e da nossa cultura. A banalização cultural, pelas artes e literatura, o triunfo do jornalismo sensacionalista e a frivolidade da política são alguns dos graves sintomas de um mal maior que afeta a sociedade contemporânea: a ideia de transformar num bem supremo e essencial o principio do prazer, reflectido na nossa natural propensão para nos divertirmos. Anteriormente a cultura como que definia uma consciência que impedia o virar as costas à realidade. Atualmente apresenta-se cada vez mais como um um forte mecanismo de distracção e entretenimento.
O autor, faz ainda alusão à figura do intelectual, que estruturou todo o século XX e que considera ter sido completamente extinto do debate público. Ainda que alguns assinem manifestos e participem em polémicas, o certo é que a sua repercussão na sociedade é mínima. Conscientes desta situação, muitos optaram pelo silêncio.

 

4. Alvorada Vermelha – Pierce brown

Alvorada Vermelha - Pierce Brown

Livro excelente para os amantes de fantasia e ficção ciêntifica, é o primeiro volume de uma trilogia que se passa numa altura em que a humanidade começou a colonizar outros planetas, como Marte. A personagem principal, Darrow, é um jovem de 19 anos, da casta mais baixa da Sociedade, os Vermelhos, uma comunidade que vive e trabalha no subsolo marciano preparando a superfície do planeta para que futuras gerações de humanos possam lá viver. Porém Darrow acaba por descobrir que ele e os seus companheiros foram enganados pelas castas superiores. Procurando fazer justiça, Darrow irá sacrificar tudo para se infiltrar na casta dos Dourados… e aniquilá-los! Cria-se, assim, um intenso romance de vingança, guerra e luta pelo poder.

Outros livros a ter em conta são as suas sequelas da trilogia (Golden Son, em português O filho dourado e morning star – Estrela da manhã).

 

5. O Reino – Gonçalo M. Tavares

O reino - Gonçalo Tavares

 

 

De um dos melhores e mais reconhecidos internacionalmente escritores portugueses da actualidade, esta obra reúne num só os quatro livros da tetraplegia do reino – um homem Klaus Klamp, A máquina de Joseph Walser, Jerusalém e Aprender a rezar na era da técnica. Sem dúvida uma grande prenda para os apreciadores de grande literatura e acima de tudo de literatura portuguesa.

 

6. A Montanha Mágica – Thomas Mann

A Montanha Mágica - Thomas Mann

Considerada a obra prima e mais importante do Prémio Nobel da Literatura de 1929, o alemão Thomas Mann.

É uma história mágica ou filosófica, sobre o tempo ou viagem interior do jovem Hans Castorp, um jovem alemão honrado e ávido de experiências. É romance ora sério ora satírico em que o humor e a ironia, a luz e o niilismo, liberalismo e conservadorismo, decadência e sublimação, doença e saúde, espírito e natureza, morte e vida, honra e volúpia se sucedem numa enorme confusão ou remoinho de ideias e vivências, que só a Primeira Guerra Mundial conseguirá dissipar.

Outra obra de enorme valor e de referência que qualquer um deve ler e reler.

 

7. Volta ao dia em 80 mundos – Júlio Córtazar

A volta ao dia em 80 mundos - Júlio Cortázar

Um livro que é mais que um, de um dos maiores e mais criativos escritores argentinos, a par de outro autores de nome como Jorge Luis Borges e Adolfo Bioy Casares. A volta ao dia em oitenta mundos, confirma todo o génio criativo de Julio Cortázar, sendo considerado, acim de tudo, uma nova forma de fazer literatura.

Nesta obra, Cortázar quebra o modelo clássico da narrativa e apresenta ao leitor, num único volume, uma colectânea de textos literários de diversos estilos e géneros como o conto, a poesia, o ensaio, o comentário humorístico e autobiográfico, que abordam temas tão variados como o boxe, a política, técnicas culinárias, sadismo, Paris, entre outros. Tudo complementado com ilustrações e fotografias escolhidas pelo próprio autor.

É uma das obras fundamentais da literatura mundial, e um livro incontornável, sendo como tal uma excelente prenda para amantes de literatura e também para não amantes, considerando a sua variedade e criatividade de textos.

8. Margarita e o Mestre – Mikhaíl Bulgákov

Margarita e o Mestre - Mikhail Bulgakov

Um dos maiores e melhores clássicos da literatura russa e também mundial. Escrito durante quase 20 anos, com diversas alterações e dificuldades, entre 1920 e 1940.

O romance é composto por duas narrativas ligadas entre si, uma que decorre na Moscovo dos anos 30 e a outra na Jerusalém antiga. As personagens são estranhas, complexas, ambíguas e algumas delas sobrenaturais, como o caso de Woland, o professor de magia negra, que afirma ter assistido ao nascimento e morte de Jesus Cristo por Pôncio Pilatos, e que é o próprio diabo, e os seus dois parceiros , o gato negro de óculos e que fala, Bieguemont ou Behemot e o matulão de barba ruiva Azazzelo, que podem também ser considerados representações da visita do diabo à Rússia. As principais personagens são o Mestre e a sua amante, Margarita.

Com forte inspiração em dois temas que marcavam a sociedade russa da época, uma campanha antirreligiosa acérrima e uma forte repressão da produção criativa livre, Bulgákov escreve um romance dentro do romance, onde espaços e ambientes intercalam entre si,  com naturalidade. O romance interior, a história da crucificação de Jesus, escrito com um realismo rigoroso, comporta um significado universal e eterno do bem e do mal, da traição, da fidelidade e da tirania, temas que se reproduzem com um carácter mais concreto no romance de moldura – a realidade da grande capital da Rússia soviética, que o autor trata recorrendo a um realismo fantástico profundamente satírico e humorístico.

Este romance já foi reeditado quinze vezes na Rússia e traduzido para cerca de 180 línguas. Existem duas recentes e excelentes traduções deste livro, directamente do russo. A tradução da Editorial Presença pelos irmãos Filipe e Nina Guerra e a tradução reeditada da Relógio de Água por António Pescada.

9. UBIK – Philpp k. Dick

UBIK - Philip K Dick

De um dos melhores escritores de ficção científica, de grandes romances que também deram origem a filmes, como Blade Runner e Relatório Minoritário, eis que surge UBIK, um livro de referência nos anos 60 escrito num estilo muito semelhante da pulp fiction, considerado tanto um thriller como um romance. A acção do livro desenrola-se numa atmosfera futurista, em 1992, quando os avanços tecnológicos permitem manter os defuntos num estado de meia-vida até à próxima reencarnação. É criada na cidade de Nova Iorque uma organização que emprega pessoas com vários talentos psíquicos, desde telepatas a precogs, entre outros.

Do mesmo autores de grandes obras de ficção científica como “Os Três Estigmas de Palmer Eldritch” e ” O homem do Castelo Alto”, “Ubik” é uma espantosa comédia metafísica sobre o medo da morte e a salvação, em que as pessoas são congeladas, num estado de meia-vida.

Mais uma grande obra de ficção científica, não só para os amantes do género, mas também para os admiradores de obras sociológicas e de comédia social.

 

 

10. O Eremita Viajante: Haikus – obra completa – Matsuo Bashô

Eremita viajante - Matsuo Basho

Um belíssimo livro de poesia de um dos maiores mestres da poesia japonesa e considerado um dos grandes mestres da poesia Haiku, Matsuo Bashō, que foi o poeta mais famoso do período Edo no Japão.

O estilo poético haiku pode ser considerado o estilo das coisas «simples e pequenas» uma vez que não recorre ao intelecto, mas valoriza as coisas pequenas, servindo-se da surpresa e de um reduzido vocabulário. É uma poesia despersonalizada, com uma linguagem quase incomum, que se origina no silêncio, atravessando, como um relâmpago, o olhar de quem a visualiza e contempla e que regressa de novo ao silêncio. Apoiando-se, em grande parte, na contemplação da beleza e comportamentos da natureza, este estilo poético assume-se quase como que um fenómeno eterno e transcendente.

Sem dúvida uma obra prima e de referência de um período histórico e cultural do Japão, para todos os amantes de poesia, e já agora, também de coisas simples, naturais, verdadeiras e com alguns toques de sobrenatural.

“quero contemplar uma flor

à primeira luz do dia

para ver a face de um deus”

(Matsuo Bashô, in O Eremita Viajante)



Mais: , , | Por: Mário Rocha