10 diferentes Festas de Carnaval à volta do mundo

Festas de Carnaval pelo mundo

Sendo o Carnaval considerado uma festa tipicamente brasileira é importante não esquecer que existem diversas festas ao longo do mundo muito originais e repletas de animação e a ter em conta. O melhor de 10 seleccionou 10 festas de diferentes países que pensamos que serão também do agrado de todos.

1. Carnaval de Nothing Hill – Reino Unido, Londres

Carnaval Nothing Hill

Este Carnaval, considerado a maior festa de rua de Londres, teve o seu inicio no final dos anos 60, como sendo uma espécie de pequeno Carnaval de Trinidad. Marcado pela constante dança ao som de ritmos calipso, soca, reggae e dub que emanam dos muitos sistemas de som à beira da estrada e, também pelos petiscos e cozinha de fazer água na boca, permite viver em grande estilo a cultura caribenha nas ruas da cidade. Com festas e desfiles uns atrás dos outros (incluindo várias pós-festas tentadoras) não faltam opções para um grande e prolongado divertimento.

2. Carnaval de Trinidad e Tobago – Trinidad e Tobago

Carnaval Trinida e Tobago

O Carnaval de Trinidad e Tobago é uma das mais importantes festas do país no ciclo anual da sua cultura. o grande foco desta festa é a música, sendo especialmente importante a soca, um ritmo afro-caribenho desenvolvido na ilha de Trinidad derivado do calypso (Estilo musical feito à base de tambores e próprio do pais).

Esta festa decorre na última semana antes da Quarta-feira de Cinza, e marca o início da temporada da Quaresma no calendário católico. Durante esta temporada ocorrem competições musicais que contam com uma grande participação, sendo uma das mais importantes a eleição do Rei do Calypso (em inglês: Calypso Monarch), título considerado de grande relevância para os trinitarios. Os principais instrumentos musicais que acompanham estas festas são os tambores, os steelpan e as chaves. Antes da época dourada do calypso (entre os anos 1930 e 1960), também eram comuns o cuatro venezuelano, a trombeta, o clarinete e as maracas.

Assim, o vigor e a pompa das Caraíbas, compõem o palco principal da festa de carnaval anual de Trinidad e Tobago, uma demonstração que se inicia às 4h da manhã do primeiro dia (J’ouvert) à medida que os participantes se reúnem para aquilo que foi em tempos uma revolução contra a escravatura.

3. Carnaval de Mardi Gras – EUA, New Orleans

Mardi Grass

Esta festa decorre na cidade norte americana de Nova Orleães, e tem o inicio no dia anterior a quarta-feira de cinzas, que é o primeiro dia da Quaresma no calendário cristão ocidental (Católico). As suas celebraçoes ocorrem durante duas semanas, ocorrendo uma parada festiva todos os dias, sendo as maiores decorrentes nos ultimos 5 dias das festividades.

O Mardi Gras, ou terça-feira gorda, tem a sua origem nas tradições europeias dos séculos XVII e XVIII dentro da Casa de Bourbon (uma dinastia real), sendo atualmente uma celebração que atraia pessoas de velhas e novas gerações. Neste ano de 2018, é o seu 300º aniversário.

4. Carnaval de Mainz – Alemanha, Mainz

Mainz Carnival

O Carnaval de Mainz é uma celebração que decorre em Mainz, na Alemanha, de 11 de Novembro até ao dia anterior à Quarta-Feira de Cinzas.

É uma das principais festas de Carnaval da Alemanha, juntamente com o Carnaval de Colónia e Dusserdolf, e é caracterizada, para além dos habituais desfiles e paradas, pela sua forte ênfase em questões politicas e humor literário, com diversos comentários e disfarces próprios para esse efeito.

5. Carnaval de Oruro – Bolivia, Oruro

Carnaval de Oruro

Celebrado em Oruro, a capital folclórica da Bolívia, esta festa de carnaval marca o festival Ito, dos Urus.

Esta festa segue os costumes andinos tradicionais, baseados na invocação de Pacha Mama e do Tio Supay, simbolizados, respectivamente, nas figuras da Virgem Maria e o Demônio. A cerimônia Ito nativa, foi interrompida em meados do século XVII, pelos espanhóis (então comandantes das terras do Alto Peru). Porém tal  fato não impediu os Urus de continuar a  observar o seu festival, mas em comemoração cristã. Eles comemoram em nome da Virgem Maria, que misteriosamente apareceu numa das minas de prata mais ricas de Oruro. E é por isso que se chama carnaval de Oruro.

São mais de 28000 dançarinos vestidos com diversas fantasias que percorrem mais de 4 quilômetros até chegarem a uma igreja chamada Sanctuaria del Socavon, onde a festa termina.

Com uma série de mitos folclóricos, lendas e tradições curiosas, esta festa de carnaval consegue distorcer totalmente as normas do quotidiano

 

6. Carnaval de Veneza – Itália, Veneza

Carnaval de Veneza

O Carnaval de Veneza teve a sua origem na tradição do século XVI, onde a nobreza se disfarçava para sair e misturar-se com o povo. Desde então as máscaras são o elemento mais importante deste carnaval.

Consta-se que a festa de carnaval de Veneza teve a sua origem numa celebração da República de Veneza pela comemoração da sua vitória sobre o Patriarca de Aquileia em 1162.

Esta festa tem a duração de 10 dias e durante todas as noites realizam-se bailes em salões e as companhias conhecidas como Compagnie della Calza realizam desfiles pela cidade. Entre as mais conhecidas estão “Os Antigos e Os Ardentes”

Os trajes que se usam são característicos do século XVIII, sendo muito comuns as máscaras nobres, caretas brancas com roupa de seda negra e chapéu de três pontas.

Também se fala que as máscaras de porcelana foram usadas originalmente como revolta contra a hierarquia de classes no século XIII.

7. Carnaval de Nice – França, Nice

Carnaval de Nice

O Carnaval de Nice é um dos melhores do mundo a par do Carnaval do Rio de Janeiro e de Veneza.

Todos os anos é escolhido um deteterminado tema que será abordado nesta festa de Carnaval, em que um conjunto de artistas e figurinos desfilam e é costume ocorrer um batalha denominada de batalha da flores.

Seis desfiles de carnaval, 17 carros de desfile e milhares de dançarinos e músicos de todo o mundo – a festa de carnaval de Nice é uma festa vibrante com uma herança rica. O elegante desfile traz para as ruas numerosas caravanas cobertas de flores, encantando o público que observa.

8. Carnaval de Santa Cruz de Tenerife – Espanha, Tenerife

Carnaval de Santacruz de Tenerife

Nesta festa milhares de pessoas saem às ruas todos os anos por mais de um milênio. Em 18 de janeiro de 1980 foi declarado um Fiesta de Interesse Turístico Internacional.

Este Carnaval tem duas partes distintas, o carnaval “oficial” do carnaval na rua. O carnaval oficial, com mais de 100 grupos, com uma média de 50 componentes cada: grupos carnavalescos, trupes, grupos de figurinos, músicos de rua e grupos musicais. O carnaval de rua, vem para o envolvimento dos próprios cidadãos no partido.

Milhares de pessoas vêm todos os dias as ruas para participar de uma festa. Dança para bandas locais, dos ritmos do Caribe, música eletrônica e músicas típicas tocando a noite toda. Pessoas “piadas” e desfrutar das ruas todas as noites durante mais de um milênio.

15 dias de extravagância transformam a cidade numa enorme festa colorida, com uma gala para eleger a rainha do carnaval, Hinos satíricos e alegria sem igual a dominar o programa.

9. Carnaval de Binche – Bélgica, Binche

Carnaval de Binche

Esta festa foi considerada pela UNESCO, em 2003, como “uma obra-prima da herança oral e intangível da humanidade”

Este festival é definido essencialmente pela figura do Gille (um palhaço), que desfila e atira laranjas a todos os outros, originando-se assim uma verdadeira batalha campal de laranjas.

Assim, Binche destaca-se com os seus artistas obscuros (conhecidos como Gilles) com eventos de atirar laranjas (considerados símbolo de sorte) e outras práticas curiosas.

10. Carnaval de Copenhaga – Dinamarca, Copenhaga

Carnaval de Copenhaga

A festa de carnaval de Copenhaga é uma festa de Carnaval muito recente, que teve o seu inicio em 1982.

Porém este evento costuma atrair mais de 100.000 espetadores para três dias de desfiles e eventos associados que revolvem à volta da música do mundo e do samba.

Decorrendo na primavera, o tempo tende a estar bom e as tardes longas proporcionam um pano de fundo agradável para o festejo.

 



Mais: , | Por: Mário Rocha