10 coisas que temos de saber sobre moedas virtuais

1. O que é a criptomoeda?

A criptomoeda é uma moeda virtual que utiliza a tecnologia de criptografia de modo a garantir a máxima segurança nas transações financeiras através da Internet. Assim como a moeda tradicional é seriada e contém listas ocultas no seu interior de forma a evitar falsificações, a criptomoeda também utiliza tecnologia nos seus códigos de forma a ser impossível hackear ou piratear.

Nos dias de hoje já existem bastantes moedas virtuais na Internet, as mais conhecidas são a Bitcoin, Ethereum e Litecoin. Uma das grandes vantagens desta moeda é que ela é descentralizada, isto é, criptomoeda pode ser transferida de pessoa para pessoa sem ter de passar por intermediários como por exemplo os bancos. Até ao momento ainda não existe regulamentação ou autoridades tributarias, o que significa que praticamente não existem taxas e podemos realizar transações em ou para qualquer parte do mundo.

 

2. Em que podemos utilizar e como funciona?

Tal como a moeda tradicional, esta serve para comprar bens ou serviços, mas neste caso através da Internet. Cada vez mais empresas estão a aderir e a aceitar a criptomoeda como forma de pagamento. As transações desta moeda virtual podem ser feitas para qualquer pessoa em qualquer parte do mundo e até ao momento sem limite mínimo ou máximo de valor.

As criptomoedas, são geradas na Internet por qualquer utilizador que deseje minerar. O processo de mineração é feito através de um programa, e para que a criptomoeda seja gerada existe um número limitado e previsível. Os cálculos de mineração digital vão verificar as transações de toda a rede. Por fim as criptomoedas, depois de geradas, são armazenadas numa carteira virtual em que é possível aceder através de um computador ou smartphone.

 

3. Como podemos adquirir uma criptomoeda?

Em primeiro lugar temos de fazer um registo numa plataforma específica para a compra deste tipo de moedas virtuais. Para compra temos em primeiro lugar de ter dinheiro real disponível na Internet (como se fosse para uma compra normal em qualquer web site). Depois podemos então comprar ou vender criptomoedas. Convém seguir as instruções da plataforma onde pretendemos adquirir a moeda virtual.

 

4. O que é a blockchain?

A blockchain é uma base de dados que se encarrega de guardar todas as transações. Funciona de maneira diferente dos bancos tradicionais como os conhecemos hoje. Enquanto que nos bancos tradicionais uma transação é publica e submete-se a taxas. Na blockchain não e todas as transações são invisíveis ou anónimas. Apenas os intervenientes de receção e envio, vêm o que está a ser feito de modo a evitar burlas e mantém também a transparência de todo o sistema.

 

5. O que é a mineração?

Para conseguirmos uma criptomoeda existem duas formas. Uma é comprarmos as moedas virtuais ou a outra é minerar. No fundo é como se estivéssemos a passar a terra a “pente fino” como que em busca de ouro. Neste caso passamos a rede a “pente fino” na procura de pelo menos um dos 50 blocos fragmentados por toda a rede e disponíveis e lançados de cada vez.

6. O que é a Taxa de hash?

A taxa de hash é a quantidade de cálculos que a rede está a processar por segundo. Por exemplo: se a taxa chegar a 10 Th/s quer dizer que a taxa está a realizar 10 triliões de cálculos por segundo.

 

7. O que é uma Pool?

Como minerar uma criptomoeda é muito difícil e complexo, muitos grupos de pessoas juntam-se para agilizar este processo de modo a maximizarem os seus lucros. Nos dias de hoje para minerar criptomoeda é necessário recorrer a computadores muito potentes e paciência de modo a encontrar unidades da criptomoeda.

 

8. O que é uma carteira de criptomoedas?

Muitas das plataformas disponíveis na Internet de compra e venda de moedas virtuais, atuam como se fossem casas de câmbio. Já disponibilizam outros serviços semelhantes aos dos tradicionais bancos. Isto é, você pode guardar as suas moedas virtuais contemplando uma taxa de administração que pode ir até um máximo de 0,5%.

 

9. Qual é a segurança das carteiras de criptomoedas?

Para segurança estas carteiras têm sempre uma palavra-chave única para cada utilizador, sendo que a palavra-chave é sempre criptografada. Neste caso temos de ter muita atenção onde guardamos esta palavra-chave, pois se o computador avariar ou perdermos o smartphone e não tivermos qualquer tipo de backup todos as moedas virtuais serão perdidas. É muito dispendioso recuperar uma palavra-chave. Chega a ser mais dispendioso que o valor da carteira, sendo que, se torna inviável.

 

 

10. As criptomoedas são finitas?

A resposta é sim. Existe um número finito para cada criptomoeda, mas cada uma pode ser dividida até 8 casas decimais ou em 100 milhões de unidades menores, sendo que, gera 21 milhões de criptomoedas. Se ainda assim, o uso massivo falhar, o protocolo pode ser atualizado para trabalhar com frações menores.

 



Mais: , , | Por: João Baganha