10 coisas que necessitamos saber sobre a blockchain

1. O que é a Blockchain?

Como o próprio nome indica é uma “cadeia de bloqueio”, o seu objetivo é ser um serviço de segurança. A blockchain bloqueia o risco, impede com que hackers ou invasores acessem a qualquer tipo de dados de quem faz a transferência de valores, acordos, qualquer tipo de transação. Elimina por completo o risco de qualquer um dos lados sofrer ataques na Internet, sendo assim uma cadeia de segurança máxima.

 

2. Como funciona?

Para toda a segurança funcionar é necessário integrar redes dentro de redes de toda a Internet. Assim milhares de computadores e servidores têm apenas um pedaço de informação, o que faz com que esses pedaços de informação isolados não tenham qualquer valor. É necessário ter o conjunto de todos esses pedaços de informação para podermos ter acesso ao conteúdo, transação, informação que é validada por toda a cadeia completa.

Todos estes pedaços de informação, são encriptados com códigos de máxima segurança. A criptografia é um algoritmo que mapeia os dados (uma linguagem de computadores) denominada por hash. O hash encarrega-se de dispersar e segmentar esses dados de forma a que a informação de forma a que nenhum ser humano ou sistema possa compreender. Deste modo se não compreende, não consegue invadir ou hackear.

Para desencriptar é necessário voltar a juntar todos estes blocos de modo a algoritmos de interpretação voltarem a colocar a informação de modo legível ao ser humano novamente. Estes sistemas de desencriptação são apenas autorizados e validados pelo sistema.

 

3. O que é um hash?

Um hash é um código semelhante a este: 0A81B8C02269CA85AA3A506EE4A36EDF9E6B2502.

Vamos imaginar agora o seguinte cenário: Um ficheiro de texto por exemplo com o texto: “Isto é um ficheiro de texto”, partilhado em rede por vários computadores. Este ficheiro está disponível para ser baixado de um web site. No entanto um utilizador num dos comutadores decidiu alterar o texto do ficheiro e gravar de novo, e o ficheiro continua disponível para ser baixado. Quem baixar esse ficheiro posteriormente acaba por obter um ficheiro corrompido o adulterado.

De forma a garantir que os ficheiros disponíveis para serem baixados funcionam. Um software calcula uma sequência única de letras e números e atribui aos ficheiros para serem baixados.

Dessa forma antes de alguém começar a baixar ficheiros o programa utilizado compara a mesma sequência de letras e números se a comparação estiver correta então o software começa a baixar os ficheiros. Esta é uma técnica bastante utilizada na Internet, sendo mais conhecida por hash ou hashsum.

 

4. Como funciona um Hash?

Outro exemplo é quando baixamos imagens ISO, para DVD’s de instalação. Por exemplo uma distribuição Linux o mesmo tipo de conferência pode ser feito. Antes de gravarmos o DVD e iniciar a sua instalação é verificado se o hash atribuído à imagem original é o mesmo da cópia presente no computador. Se a sequência de números e letras for igual, então temos a certeza de que é uma copia perfeita da destruição Linux que baixamos.

Ainda como exemplo é caso das palavras-chave ou palavras-passe. Graças ao hash quando fazemos o registo em algum web site com uma palavra legível e de forma a memorizarmos, esta palavra é imediatamente transformada em hash. Se assim não fosse qualquer utilizador que tenha acesso à base de dados do web site vê as palavras-chave de acesso de todos os seus utilizadores.

Quando acedemos ao web site, introduzindo o nome de utilizador e palavra-passe. O sistema vai verificar se a sua palavra-passe está correta. O sistema calcula o hash da palavra passe que o utilizador introduziu e se estiver de acordo com a palavra-passe registada no web site então tem acesso à secção do utilizador. Se assim não for o web site informa ao utilizador que a palavra-passe que digitou está errada.

 

5. O que a blockchain tem a ver com a Bitcoin ou outras moedas digitais (criptomoedas)?

Como todos sabemos a Bitcoin é uma moeda digital que tem dado muito que falar nos últimos tempos. É tecnicamente denominada por criptomoeda. O prefixo “cripto” vem obviamente de criptografia. Bit é a unidade padrão dos equipamentos digitais. Como o nome indica a bitcoin é uma moeda digital criptografada.

A blockchain é todo o processo de como a moeda é protegida. A tal cadeia bloqueada, a sua própria cadeia de valor. Uma não funciona sem a outra. Sem a blockchain as criptomoedas não teriam valor algum, pois seriam altamente vulneráveis.

 

 

6. Registo da transação

O registo da transação é feito de maneira distribuída e descentralizada e guardada na bockchain. Vamos imaginar uma tabela simples com informações como destino, origem e o valor do procedimento. Apenas os utilizadores envolvidos têm acesso a esta informação, neste caso de exemplo a Ana e o Joaquim. O acesso a esta informação é feito através de um endereço.

Exemplo: Origem: Joaquim, Destino: Ana, Valor: 100 euros

Esta informação fica guardada no sistema e ninguém tem acesso às pessoas e ao valor envolvidos, sendo que, nas operações todos os dados têm sigilo.

 

7. Tornar a transação oficial

Para se realizar uma transação financeira, não basta apenas se enviar criptomoedas para o destino. A principal vantagem e característica da blockchain é que todos os dados necessitam de ser validados para uma transação ser incluída no sistema e se oficial.

Para isso, existe a mineração (PoW ou PoS), isto é, um servidor que verifica todas as informações de 10 em 10 minutos. Depois da verificação, e, se tudo estiver correto, o sistema gera um código hash que torna a transação oficial.

 

8. Tornar a transação anónima?

O processo é feito através de chaves privadas (endereços), assim sendo, os utilizadores realizam as suas transações de forma privada. Para melhor segurança é que, para cada movimentação o utilizador utilize sempre um endereço diferente. Este endereço é composto por números, letras e caracteres especiais. Deste modo, a identidade dos utilizadores é reservada e só estes têm acesso e controlo dos procedimentos expostos na transação.

 

9. Como fica a transação inalterável e permanente?

Como já explicamos, a transação utiliza a tecnologia hash, que cria a sequência de números e caracteres diferentes para qualquer conjunto de informação digital. Se a informação for modificada por um espaço ou mesmo uma vírgula, esta vai gerar outro hash. O que vai acontecer é que a operação final não será validada, pois neste caso como verificamos, houve uma alteração do documento inicial.

 

 

10. Qual é o impacto financeiro da blockchain nos mercados?

Estima-se que até 2020 mais de 80% dos profissionais da área financeira espera trabalhar com a blockchain. Atualmente quase metade das organizações em que estes profissionais trabalham já planeiam ou investem neste método.

O investimento médio em projetos com a tecnologia blockchain ronda aproximadamente 1 milhão de euros no ano de 2018.

Este tipo de tecnologia tem várias vantagens, sendo que a principal é, o modelo peer-to-peer (P2P), em que as informações são partilhadas sem a necessidade de um servidor centralizado. O que faz que haja uma redução de custos significativa.

Este benefício permite que não haja limitações de valores, sendo que, qualquer quantia pode ser transferida numa questão de segundos, de forma praticamente instantânea. O que vai eliminar constrangimentos e restrições impostas pelos bancos e instituições financeiras, como esperar quase 48 horas para receber determinado valor por exemplo. As movimentações mais comuns nos dias de hoje realizadas pela blockchain são as movimentações internacionais.

 



Mais: , , | Por: João Baganha